PUB

chamusca parque de sonhos

PUB

banner presepios

PUB

banner cms reino natal

PUB

clickaporta

Leonor Cardoso Ferreira tem ainda muitas dificuldades em explicar o que a levou a dar troco à conversa de um completo estranho que lhe surgiu ao portão, na segunda-feira, 12 de Março.

A idosa, de 81 anos, foi burlada e roubada por um falso médico que lhe levou cerca de 500 euros em notas e desapareceu sem deixar rasto.

Nessa manhã, a vítima levantou a sua reforma nos correios de Almeirim e tinha chegado há pouco tempo a casa, na aldeia da Tapada, quando o farsante apareceu a chamar por si, por volta do meio-dia.

“Ele sabia o nome da minha médica de família e começou a perguntar-me se ela já tinha falado comigo por causa de uma consulta”, recordou à Rede Regional Leonor Ferreira, explicando que o ladrão apresentou-se também como médico.

Palavra puxa palavra, e a idosa, que é viúva, doente e reside sozinha, acabou por acreditar no burlão quando ele lhe disse que ia passar a receber mais 100 euros de reforma. O farsante precisava, no entanto, de tirar os números das notas que ela tinha recebido, para verificar se eram falsas.

“Fiquei tão desorientada que acabei por lhe dar para a mão todo o dinheiro que tinha. Ele disse que ia num instante ao computador da farmácia ver isso, e só aí é que eu fiquei desconfiada que tinha sido enganada”, explica a vítima, que se recorda de pouco mais do que conversar com um indivíduo pelos seus 40 anos, muito bem parecido e bem falante, vestido de camisa clara e pullover sem mangas.

Leonor Ferreira reparou ainda que o ladrão parou à sua porta um carro ligeiro, de cor branca, mas não conseguiu perceber se agiu sozinho ou se estava um cúmplice dentro da viatura.

O caso está a ser investigado pela GNR de Almeirim.

O homem que esfaqueou o comandante da GNR de Rio Maior foi condenado a uma pena de 100 dias de multa à taxa diária de 5,5 euros, o que perfaz um total de 550 euros.

Adilson Rodrigues dos Santos foi considerado culpado de um crime de ofensa à integridade física por negligência, uma vez que o tribunal de Rio Maior deu como provado que o arguido, de 43 anos, atingiu inadvertidamente o sargento-ajudante José Mesquita, durante uma briga ocorrida na feira das tasquinhas da cidade.

Na leitura da sentença, que decorreu na quarta-feira, 14 de Março, a juíza do Tribunal de Rio Maior salientou que os factos ocorreram porque o homem foi “imprudente” e “não agiu com a devida precaução”.

“Face ao número de pessoas presentes no local”, que o próprio Tribunal estimou serem cerca de 140, “impunha-se ao arguido que manejasse a faca com maiores cuidados”, refere a sentença, que considera o esfaqueamento um resultado não intencional da conduta de Adilson Santos. Perante a falta de antecedentes criminais do arguido, o facto de estar socialmente inserido e a pouca gravidade das lesões provocadas na vítima, o tribunal optou por condená-lo em multa, ao invés de lhe aplicar uma pena de prisão.

Os factos remontam a Abril de 2011, quando Adilson Santos, que confessou durante o julgamento estar embriagado naquela noite, tentava entrar à força no recinto por volta das 6 horas da madrugada, e depois de ter sido expulso uma primeira vez. O homem, de nacionalidade brasileira, disse em tribunal ter sido agredido pelos seguranças privados contratados pela organização, tendo ido de seguida apresentar queixa no posto local da GNR.

Os militares que o receberam aconselharam-no a dirigir-se aos guardas que ainda estavam no pavilhão multiusos da cidade, onde decorria uma noite de música electrónica na tenda dos bares. Adilson Santos não gostou de ser barrado novamente pelos seguranças e puxou de uma navalha com que ainda golpeou num braço um funcionário administrativo da empresa privada de segurança, que entretanto tinha chamado a GNR ao local.

Na confusão que se gerou, o comandante José Mesquita tentou detê-lo e acabou esfaqueado no abdómen com uma navalha de seis centímetros de lâmina, tendo sido de seguida transportado ao Hospital de Santarém, onde se apurou que não tinha sido atingido em nenhum órgão vital.

O Comando Territorial de Santarém da GNR, através do Posto Territorial de Salvaterra de Magos, deteve esta madrugada um homem e identificou outros sete por suspeita de posse e tráfico de estupefacientes.

Os oito indivíduos, todos de nacionalidade portuguesa e do sexo masculino, têm idades entre os 19 e os 30 anos de idade e residem no concelho de Salvaterra de Magos.

A Acção, levada a cabo cerca das 3 da manhã, desenvolveu-se no decorrer de uma missão de patrulhamento. Segundo a GNR, ao aperceberem-se da aproximação dos militares, os suspeitos largaram para o chão produto estupefeciente equivalente a 228 doses de haxixe, pelo que foram constituídos arguidos e prestaram termo de identidade e residência.

Na sequência desta ação foi detido um dos indivíduos, com 24 anos de idade, que possui antecedentes criminais relacionados com o tráfico de droga, sendo que deste acto resultou a apreensão de uma viatura ligeira de passageiros, dois raladores de erva e uma estufa para cultivo de estupefacientes com 50 centimetros e, ainda, duas armas brancas e uma soqueira.

Mais artigos...

PUB

PUB

jorge malacas

PUB

Slide backgroundSlide thumbnail

PUB

aguas barco

APOIO

  • ba01.jpg
  • ba02.jpg

PUB

mercadinho almeirim

Quem está Online?

Temos 507 visitantes e 0 membros em linha