PUB

chamusca covid continua

PUB

banner cms juntos


O Comando do Grupo Territorial da GNR de Santarém mostra-se bastante satisfeito com os primeiros resultados do "Estar Próximo", um projecto-piloto de policiamento de proximidade que começou a ser implementado em Agosto passado, no concelho de Santarém.

O balanço provisório destes três meses indica que a criminalidade tem vindo a descer nas 23 freguesias que estão a servir de laboratório a este projecto pioneiro a nível nacional, e que a guarda equaciona mesmo implementar noutras áreas da sua competência, caso este modelo venha a revelar-se um sucesso operacional.

Nos últimos três meses, a GNR registou 220 queixas-crime nestas 23 freguesias, contra 285 no mesmo período de 2011, o que dá uma redução de quase 23% em termos de criminalidade participada.

"Não é possível extrair ainda nenhuma conclusão definitiva ou fazer uma análise profunda, mas penso que os números indicam que vamos no bom caminho", destacou o comandante do Grupo da GNR de Santarém, Corte-Real Figueiredo, numa conferência de imprensa realizada na terça-feira, 27 de Novembro, que serviu para dar conta do andamento deste projecto.

Segundo explicou o mesmo responsável, o "Estar Próximo" significa sobretudo "um novo paradigma de actuação das forças de segurança" que "não se impõe pela presença nem anda à procura dos focos de criminalidade. Tenta, por outro, estar lado a lado com o cidadão e transmitir-lhe um maior sentimento de segurança".

Guardas andam apeados pelas freguesias

Em termos operacionais, o "Estar Próximo" passa pela colocação de um militar apeado nas freguesias rurais durante alguns dias da semana, não só para vigiar os locais de maior movimento das aldeias (cafés, postos dos correios, agências bancárias), mas também para desenvolver contactos directos com a população e criar uma relação de proximidade.

Mais do que colocar patrulhas a passar de carro nas freguesias rurais, a filosofia é que o cidadão veja no guarda um amigo em quem pode confiar.

Segundo Corte-Real Figueiredo, esta é uma forma não só de conquistar a confiança das pessoas e de marcar presença efectiva nas aldeias mais afastadas do posto, mas de obter informações sobre situações que muitas vezes são abafadas no seio das famílias, como casos de violência doméstica ou sobre idosos.

No caso de se registar uma qualquer ocorrência, o guarda pede de imediato o reforço às duas patrulhas que estão de serviço em todos os turnos, uma para a zona sul e outra para a área mais a norte do concelho.

Os militares destacados para este serviço, que receberam formação específica, também recebem queixas-crime e atendem cidadãos em espaços reservados criados nas sedes das Juntas de Freguesia, que são parceiras da GNR neste projecto.

O feedback e os elogios que lhe têm chegado às mãos por parte das Juntas de Freguesia foi um dos pontos que o comandante sublinhou na conferência de imprensa, dando conta que 21 dos 23 executivos locais do concelho fizeram-lhe chegar "uma apreciação extremamente positiva" do "Estar Próximo" e solicitam mesmo a sua continuidade.

Quanto aos militares que estão no terreno, "estão muito motivados e sentem-se bem ao fazer este serviço, porque as pessoas dizem-lhes obrigado, sentem-se úteis quando a população reconhece o seu trabalho", disse ainda Corte-Real Figueiredo, salientado que "o espírito deste projecto passa precisamente por criar um elo de ligação muito forte com as pessoas".

"Nunca esteve previsto o encerramento de qualquer posto"

Colocar o projecto no terreno implicou fazer uma nova distribuição dos 46 elementos afectos aos postos da GNR de Santarém e de Pernes (os dois do concelho), mas "nunca esteve previsto o encerramento de qualquer posto", garantiu Corte-Real Figueiredo, referindo-se em concreto ao de Pernes.

Na nova reformulação, que implicou também uma alteração geográfica das áreas de patrulhamento de cada um, o posto de Pernes ficou apenas sem a parte administrativa, ficando com mais militares disponíveis para este serviço, explicou o comandante, acrescentando que a mudança reforçou a capacidade de garantir a segurança no concelho.

Aos fins de semana e no período de férias natalícias, a aldeia típica das salinas de Rio Maior está transformada numa espécie de aldeia Natal, com os típicos montinhos de sal a assumirem o aspeto de flocos de neve, proporcionando uma experiência única aos visitantes.

Presépios de Sal, animação nas lojas e restaurantes da localidade e, claro, o Pai Natal, acompanhado pelas suas Renas e Duendes, são algumas das atrações colocadas à disposição de todos, sobretudo dos mais novos, que terão ainda uma série de divertimentos numa tenda montada especificamente para o efeito nos arredores da localidade.

Este Natal Salgado pode ser visitado todos os fins-de-semana até 6 de Janeiro, entre as 10h00 e as 18h00.


"Tivemos muita sorte porque o acidente podia ter tido consequências bem mais graves", disse à Rede Regional Carlos Rodrigues, o treinador dos juniores de hóquei em patins dos "Corujas" Ginásio Clube, de Coruche, que esteve envolvido num acidente de viação do qual resultou um morto, na sexta-feira à noite, à saída de Almeirim.

A equipa seguia para um jogo em Tomar quando um carro que vinha em sentido contrário entrou em despiste e embateu com grande violência na carrinha onde seguiam, além do técnico, mais sete jovens jogadores com idades entre os 15 e os 18 anos, e o motorista, Carlos Santos.

"Nós vimos o carro a despistar-se e bater nas árvores. Numa fracção de segundos, entrou na estrada e já estava mesmo em cima de nós. Não houve qualquer hipótese de nos desviarmos", recorda Carlos Santos, o dirigente que seguia ao volante da Volkswagen Transporter de nove lugares dos "Corujas".

"Os miúdos ficaram bastante assustados, como é natural, mas todos traziam cinto de segurança e nenhum se magoou a sério, felizmente", disse Carlos Rodrigues, acrescentando que "alguns nem se aperceberam logo do embate porque vinham distraídos a ouvir música".

Os jogadores foram transportados com hematomas e escoriações nas pernas e na cara ao Hospital de Santarém, de onde começaram a ter alta por volta das 23 horas de sexta-feira.

Os dois adultos saíram só por volta da uma hora da madrugada de sábado, e ambos estão já em casa a recuperar, com dores fortes ao nível do abdómen, do tronco e dos braços, segundo relataram à Rede Regional.

"Felizmente, os miúdos escaparam apenas com ferimentos ligeiros, mas psicologicamente o acidente foi bastante traumatizante para eles", disse à Rede Regional Maria João Dias, a presidente dos "Corujas", clube que movimenta, neste momento, cerca de 60 jovens atletas em escalões de formação de hóquei em patins e patinagem artística.

"Ainda bem que não passou de um enorme susto", acrescentou a responsável, agradecendo as mutas mensagens de solidariedade que lhe têm chegado de vários clubes do concelho e da região.

Um deles, o Clube Amador de Desportos (CAD) de Coruche, disponibilizou mesmo uma das suas viaturas para os Corujas garantirem o transporte dos seus atletas enquanto a carrinha acidentada está na oficina.

Recorde-se que o condutor do Audi A3 que terá provocado o acidente ao entrar em despiste naquela zona da EN118 onde ocorrem bastantes acidente faleceu no local ainda antes da chegada dos meios de socorro.

Ricardo Correia tinha 30 anos e trabalhava simultaneamente em dois postos de abastecimento de combustível da Repsol, um em Alpiarça e outro em Almeirim, cidade onde residia.

A vítima mortal deixa viúva e uma filha com três anos de idade.

 

Mais informação em:

Acidente provoca um morto e nove feridos

Mais artigos...

PUB

PUB

PUB

PUB

Scalhidraulica

PUB

PUB

promo almeirim

Quem está Online?

Temos 581 visitantes e 0 membros em linha