PUB

chamusca tejoporumfio

PUB

banner cms scalabbis

 PUBaguas santarem 600x110

A ciclista ribatejana Maria Martins terminou a sua primeira participação nos Jogos Olímpicos com um sétimo lugar no concurso de omnium. A atleta da Moçarria (Santarém) totalizou 95 pontos, uma excelente participação nesta que foi a estreia do ciclismo de pista nacional em Jogos Olímpicos, no Velódromo de Izu, Japão, que culminou num diploma olímpico.

Slide thumbnail

O concurso iniciou-se com uma prova de scratch de apenas 30 voltas: Uma distância tão curta convidou a uma gestão conservadora da corrida, sem qualquer ataque. Isto elevou o nervosismo para a fase final, o que resultou em duas quedas, nas duas voltas finais. "Tata" Martins escapou aos acidentes e foi a sexta classificada.

A segunda prova do omnium, a corrida tempo, foi completamente diferente do scratch, com ataques desde a volta inicial. A responsabilidade foi das corredoras que caíram na prova anterior e que estavam em condições físicas de tentar a reviravolta na classificação geral. Numa disputa de grande intensidade, Maria Martins não conseguiu pontuar em qualquer dos sprints, mas esteve no pelotão da frente, o das corredoras que dobraram as restantes. A portuguesa foi a oitava classificada na corrida tempo.

Com um desempenho de grande personalidade, sempre na primeira metade do pelotão, Maria Martins conseguiu o quinto lugar na eliminação. Foi um resultado que permitiu à portuguesa entrar na última prova, a corrida por pontos, no sexto posto da geral do omnium, apenas a seis pontos dos lugares de pódio.

A corrida por pontos foi o espelho da elevada competitividade do omnium olímpico, uma vez que conseguiram pontuar 13 das corredoras presentes. Maria Martins pontuou em três sprints e ainda tentou ganhar uma volta, envolvendo-se numa das duas fugas da corrida de 20 quilómetros (80 voltas). A portuguesa chegou ao sprint final em condições de lutar pela quinta posição, sendo apenas ultrapassada nos metros finais.

A vitória pertenceu à americana Jennifer Valente, que comandou desde a primeira corrida, fechando a competição com 124 pontos. A japonesa Yumi Kajihara, campeã mundial em título, ficou com a medalha de prata, mercê dos 110 pontos conquistados. A veterana neerlandesa Kirsten Wild fechou o pódio, com 108 pontos.

"Para ser sincera, ainda estou a tentar assimilar todas as sensações que hoje estou a viver. Estar nos Jogos Olímpicos foi a concretização de um sonho. Conseguir um diploma foi outro sonho que se realizou. Estou a viver dois sonhos de uma só vez e, por isso, posso dizer que este é o dia mais feliz da minha vida", confessou Maria Martins, depois de participar na cerimónia de encerramento, "um momento muito bonito e emotivo".



Slide backgroundSlide thumbnail

PUB

PUB

scalhidraulica 2021

PUB

Slide backgroundSlide thumbnail

PUB

ipsantarem mestrados

PUB

banner ar

Quem está Online?

Temos 757 visitantes e 0 membros em linha