PUB

banner chamusca covid mata

PUB

nersant business +2

PUB

cms covid 2021b

PUB

clickaporta

O homem que estava acusado de ter morto o próprio irmão numa briga entre ambos na Chamusca, em setembro de 2018, foi absolvido de ter tido responsabilidade direta no óbito da vítima mortal.

Slide thumbnail

O Tribunal de Santarém considerou não ter ficado provada uma relação direta de causalidade entre as agressões do arguido, José Estorninho, e os ferimentos que levaram à morte do irmão, Carlos Estorninho, que, durante a contenda, caiu e bateu com a cabeça no pavimento, sofrendo um traumatismo craniano que o deixou em coma profundo durante dois meses, antes de falecer.
“Penso que foi feita justiça, porque nunca tive intenção de matar ninguém, muito menos um irmão”, disse à Rede Regional José Estorninho, no final da leitura do acórdão, que decorreu esta segunda-feira, 23 de novembro.
O arguido, de 54 anos, estava acusado pelo Ministério Público (MP) por um crime de ofensa à integridade física simples, agravada pelo resultado morte, tendo acabado por ser condenado apenas por ofensa à integridade física numa pena de multa, no valor de 1.150 euros.
Durante o julgamento, José Estorninho admitiu sempre a má relação entre ambos e garantiu que lhe deu apenas uma bofetada, sustentando que a morte de Carlos tinha resultado de “um tremendo infortúnio”, do qual está “arrependido”.

Briga por motivos fúteis resulta em morte
Os factos remontam a 5 de setembro de 2018, após a companheira de José Estorninho ter recebido uma mensagem de telemóvel a relatar que Carlos Estorninho, então com 47 anos, tinha mandado para o meio da rua roupa e outros pertences que José ainda guardava em casa da mãe, e onde residia o mais novo.
O casal foi à procura da vítima mortal, que estava num café perto da casa, na zona alta da Chamusca, onde os três se envolveram na briga da qual resultou a morte de Carlos.
Depois de socorrida pelos bombeiros, o homem saiu do local com lesões muito graves a nível encefálico, tendo sido transportado para o Hospital de São José, em Lisboa, em estado de coma.
Carlos Estorninho acabou por morrer internado no Hospital de Santarém, a 11 de dezembro de 2018.

 



PUB

PUB

Scalhidraulica

PUB

Aguas Ribatejo Atendimento 012 222

Quem está Online?

Temos 1029 visitantes e 0 membros em linha