O Tribunal de Santarém vai começar a julgar uma empregada de limpeza suspeita de ter roubado quase 30 mil euros em casas particulares e escritórios onde trabalhou, e de residências que assaltou, no concelho do Cartaxo.

Slide thumbnail

A arguida, de 53 anos, está acusada pelo Ministério Público (MP) por um crime de roubo agravado, quatro de furto qualificado, um de furto simples e ainda um de dano.
A mulher foi colocada em prisão preventiva depois de ter sido apanhada em flagrante delito no passado dia 30 de janeiro, quando saía de uma habitação onde fez limpezas durante 5 anos, em Vila Chã de Ourique, e que decidiu assaltar aproveitando a ausência dos proprietários.
A empregada estava já sob a mira das autoridades porque, dias antes, tinha roubado cerca de 3.600 euros em joias de ouro e prata numa outra residência em Vila Chã de Ourique, onde trabalhou durante três anos, e assaltado uma idosa de 79 anos, que reside sozinha no Cartaxo.
Neste caso, a arguida tapou a cabeça e a cara com uma meia de vidro preta e ameaçou a septuagenária de morte com uma pistola de fulminantes, tendo-lhe roubado dinheiro e um par de brincos.
No total, a acusação do MP, a que a Rede Regional teve acesso, imputa-lhe seis casos diferentes, em locais onde a mulher conhecia o valor dos bens dos ofendidos e as rotinas familiares das vítimas.
Nos dois assaltos mais proveitosos, um numa residência particular e outro no escritório de uma empresa de investimentos, a arguida sacou mais de 20 mil euros em dinheiro, material informático, artigos valiosos de ourivesaria, perfumes, carteiras e coleções valiosas de moedas e relógios, entre outro material.