O Laboratório de Fabricação Digital e Prototipagem Rápida (FabLab) do Instituto Politécnico de Santarém está a produzir viseiras de proteção para os profissionais de saúde contra a propagação do novo coronavírus, num projeto que envolve as escolas de educação, de gestão e o “Grupo Movimento Maker – Portugal”.

Slide thumbnail

As primeiras viseiras foram entregues no passado fim-de-semana, segundo um comunicado de imprensa do IP Santarém, que acrescenta que este movimento conta com o apoio da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT), do IEFP e do Cenfim, que também disponibilizaram as suas máquinas de impressão para a produção destes equipamentos.
Esta é apenas uma das ações de apoio ao combate à pandemia do COVID-19 que está em curso no IP Santarém, onde os docentes da Escola Superior de Saúde estão mobilizados para aumentar a capacidade de intervenção das unidades de saúde na região.
Segundo o mesmo comunicado, vários estudantes finalistas do curso de enfermagem disponibilizaram-se para trabalhar em linhas telefónicas de apoio às famílias dos doentes internados, e o IP Santarém disponibilizou quartos em duas residências de estudantes, Pedro Álvares Cabral e São Pedro, para os profissionais de saúde que não queiram voltar a casa nas suas pausas, ou mesmo em situação de necessidade de quarentena, no caso de infeção.
No que se refere à Escola Superior de Desporto de Rio Maior, foi criado o programa “#SOUDESPORTO em CASA”, que “disponibiliza sessões de exercício físico, em direto, na sua página do Facebook, de 2ª a 6ª feira, às 19 horas”.