abrantestejopoluicaoaguaescura

A divulgação pública do último vídeo feito por Arlindo Consolado Marques, um ambientalista que conseguiu reunir imagens chocantes da poluição no rio Tejo, no passado dia 8 de fevereiro, levou o PSD e o CDS/PP a exigir esclarecimentos ao Ministério do Ambiente.

O grupo parlamentar dos social-democratas exige, com caráter de urgência, a presença do ministro do ambiente na Assembleia da República para explicar a situação, ao passo que os centristas dirigiram um conjunto de perguntas a João Pedro Matos Fernandes.

“Ao longo dos últimos dois meses, e principalmente na última semana, o rio Tejo voltou a apresentar focos de poluição preocupantes”, salienta o requerimento do PSD, que quer que o ministro vá à Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização e Poder Local explicar o aparente falhanço das várias entidades que deveriam proteger o rio da poluição.

“Não obstante todas as diligências tomadas nos últimos tempos, no dia 8 de fevereiro, voltou a ser visível no Açude de Abrantes a água de um forte tom castanho-escuro, com muita espuma, o que denota uma descarga recente de um qualquer efluente”, salienta a deputada Patrícia Fonseca, do CDS/PP, sublinhando que “era notória a diferença de cor do Rio Zêzere a entrar no Rio Tejo, o que revela que a fiscalização não está a ser eficaz”.

A eleita questionou ainda o ministro sobre “se está a ser equacionada a possibilidade de ser encontrada uma alternativa para a gestão dos efluentes das indústrias da região que, apesar de estarem a cumprir os planos a que se comprometerem, ainda não têm os seus investimentos concluídos, no sentido de reduzir a carga poluente no Tejo”.

Notícias relacionadas:

Vídeo mostra imagens impressionantes da poluição no Rio Tejo