A entrada do advogado Ramiro Matos para presidente do Conselho de Administração e a saída, por renúncia ao cargo, da vogal Teresa Ferreira, abriram portas a uma reformulação dos órgãos sociais da empresa municipal Águas de Santarém, que gere os sistemas de abastecimento de água e saneamento neste concelho.

Slide thumbnail

Ainda em dezembro, o Conselho de Administração admitiu um novo diretor-geral, cargo previsto no organograma mas que não estava ocupado desde que havia assumido funções uma administradora executiva.

A escolha para diretor-geral recaiu em Gustavo Madeira, de 47 anos, ex-quadro da administração central, que era diretor do Centro de Controlo e Monitorização do Sistema Nacional de Saúde. Antes fora inspetor tributário e, de 2018 a 2018, secretário-geral do Ministério da Defesa Nacional onde, entre outras funções, foi coordenador do Programa Orçamental da Defesa.

No seu vasto currículo estão ainda cargos como o de assessor do diretor-geral dos impostos, vogal do Conselho Diretivo da Agência para a Modernização Administrativa, consultor, gestor de recursos humanos e bancário.

Licenciado em Gestão de Empresas, possuiu um Curso de Estudos Superiores Especializados (CESE) em Auditoria, uma Pós-Graduação em Corporate Finance, um MBA em Gestão com especialização em finanças e um Mestrado em Gestão.

MARIA MANUELA DINIS SUBSTITUI TERERA FERREIRA

Para o Conselho de Administração, em substituição de Teresa Ferreira, deverá entrar Maria Manuela Dinis, de 46 anos, licenciada em química, que desempenha funções de responsável de laboratório na Ecodeal, na Chamusca.

A nomeação vai ser discutida esta segunda-feira, 11 de janeiro, na reunião do executivo municipal, sendo que a administradora não será remunerada, tendo no entanto direito a senhas de presença pela participação nas reuniões do Conselho de Administração, conforme aplicável aos demais membros (não obstante os restantes dois elementos – Ramiro Matos (presidente) e Diogo Francisco Gomes (vogal) - terem prescindido de tal abono).