a13

O Movimento de Utentes dos Serviços Públicos do distrito de Santarém (MUSP) quer que o Governo inscreva no Orçamento do Estado para 2017 a abolição das portagens nas autoestradas A23 e A13.

Em comunicado, e após cartas enviadas a todos os grupos parlamentares, o MUSP considera que “não houve razões económicas, ambientais, de segurança e de coesão territorial que justificassem a instalação de portagens na A23 e, posteriormente, na A13”, e alerta para o facto de estas vias serem “fundamentais no acesso a cuidados de saúde nos três hospitais da região do Médio Tejo, que constituem o Centro Hospitalar do Médio Tejo”.

“Recentemente, alegando constrangimentos orçamentais, o Governo decidiu aplicar um desconto nos tarifários em vigor, mas em que foi excluída a A13”, adianta o mesmo comunicado, avançando ainda que na A13 e A23 “se praticam as mais elevadas taxas de portagem do país”.