PUB

banner chamusca alice adiado

PUB

banner cms riscos

abrantescamarafotogeral

Com uma redução que ronda os 5 milhões de euros em relação a este ano, a Câmara de Abrantes aprovou o seu orçamento para 2015, no valor de 27,6 milhões de euros, o que corresponde a uma diminuição percentual que ronda os 17%.

Segundo explicou a presidente da autarquia, Maria do Céu Albuquerque, trata-se do orçamento "possível", tendo em conta a "continuação das medidas de austeridade que o país atravessa", a "expectável e acentuada diminuição de receitas" e a "incerteza quanto aos mecanismos de financiamento a disponibilizar pelo novo Quadro Comunitário de Apoio".

Na apresentação e discussão do documento na Câmara, onde o documento passou com a abstenção do eleito da CDU e o voto contra da vereadora do PSD, Céu Albuquerque sublinhou ainda que este é o primeiro de sete orçamentos em que o município vai ser chamado a contribuir para o Fundo de Apoio Municipal (FAM), o instrumento criado pelo governo para ajudar autarquias em situação de asfixia financeira.

Do bolo total, a Câmara de Abrantes vai distribuir cerca de 2,4 milhões de euros a instituições sem fins lucrativos do concelho (IPSS's e coletividades do movimento associativo), às juntas de freguesia e em programas de apoio às famílias, casos de bolsas de estudo, contratos de emprego e inserção profissional, transportes e refeições escolares, entre outros.

Do corpo de investimentos inseridos no documento, em que parte deles são plurianuais, destaque para a construção da nova extensão de saúde do Rossio ao Sul do Tejo e o programa de incentivo à fixação de médicos de família, áreas em que a autarquia até se está a substituir ao Estado, o alargamento da rede de teleassistência para apoio aos idosos, a aposta no Balcão do Empreendedor e do Serviço Municipal de Apoio ao Empresário, o apoio à concretização e dinamização do Banco de Terras, a implementação da estratégia de Revitalização do Comércio no Centro Histórico de Abrantes, e a continuação de projetos como a primeira fase do MIAA ou da estação de canoagem de Alvega, entre outros.

O documento vai ser presente à próxima Assembleia Municipal.



Comentários   

0 #1 joão alexandre 06-11-2014 22:55
5 milhões a menos entre os orçamentos de 2014 para 2015...é muito...é pouco...é o que é, face ás mais diversas contingências de nível nacional e local...mas...v eja-se bem sem sectarismos bacocos...
...uma coisa é certa...na minha opinião...quiçá um pouco menos de metade desse valor a Câmara Municipal de Abrantes, após 2005, "deitou-a para o lixo", é o termo mais que adequado para classificar vários actos de pura «« gestão ruinosa »»,com gastos á volta de determinados projectos megalómanos não concretizados ou inúteis, tais como, RPP SOLAR, OFÉLIA, HOTEL(Vale de Roubam), NOVO QUARTEL DOS BOMBEIROS, NOVO MERCADO DIÁRIO, MIAA,ETC., ETC....AFINAL DE CONTAS... o concelho de abrantes vem mostrando desde há uns anos o reflexo tal e qual como aquele a nível nacional que se nos deparou desde os finais de 2010/2011...e então?...curios amente ou não deriva de uma prática político/partid ária da mesma cor rosa «« PS, claro! »».
Citar

leziria startup

 

Slide backgroundSlide thumbnail

PUB

PUB

Scalhidraulica

Quem está Online?

Temos 637 visitantes e 0 membros em linha