Seg, 15 Julho 2024

PUB

RODAPE-CONTEUDOS

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

Siga o nosso canal de WhatsApp e fique a par das principais notícias.

Proximidade da GNR tem diminuído crimes nos meios rurais


O Comando do Grupo Territorial da GNR de Santarém mostra-se bastante satisfeito com os primeiros resultados do "Estar Próximo", um projecto-piloto de policiamento de proximidade que começou a ser implementado em Agosto passado, no concelho de Santarém.

O balanço provisório destes três meses indica que a criminalidade tem vindo a descer nas 23 freguesias que estão a servir de laboratório a este projecto pioneiro a nível nacional, e que a guarda equaciona mesmo implementar noutras áreas da sua competência, caso este modelo venha a revelar-se um sucesso operacional.

Nos últimos três meses, a GNR registou 220 queixas-crime nestas 23 freguesias, contra 285 no mesmo período de 2011, o que dá uma redução de quase 23% em termos de criminalidade participada.

"Não é possível extrair ainda nenhuma conclusão definitiva ou fazer uma análise profunda, mas penso que os números indicam que vamos no bom caminho", destacou o comandante do Grupo da GNR de Santarém, Corte-Real Figueiredo, numa conferência de imprensa realizada na terça-feira, 27 de Novembro, que serviu para dar conta do andamento deste projecto.

Segundo explicou o mesmo responsável, o "Estar Próximo" significa sobretudo "um novo paradigma de actuação das forças de segurança" que "não se impõe pela presença nem anda à procura dos focos de criminalidade. Tenta, por outro, estar lado a lado com o cidadão e transmitir-lhe um maior sentimento de segurança".

Guardas andam apeados pelas freguesias

Em termos operacionais, o "Estar Próximo" passa pela colocação de um militar apeado nas freguesias rurais durante alguns dias da semana, não só para vigiar os locais de maior movimento das aldeias (cafés, postos dos correios, agências bancárias), mas também para desenvolver contactos directos com a população e criar uma relação de proximidade.

Mais do que colocar patrulhas a passar de carro nas freguesias rurais, a filosofia é que o cidadão veja no guarda um amigo em quem pode confiar.

Segundo Corte-Real Figueiredo, esta é uma forma não só de conquistar a confiança das pessoas e de marcar presença efectiva nas aldeias mais afastadas do posto, mas de obter informações sobre situações que muitas vezes são abafadas no seio das famílias, como casos de violência doméstica ou sobre idosos.

No caso de se registar uma qualquer ocorrência, o guarda pede de imediato o reforço às duas patrulhas que estão de serviço em todos os turnos, uma para a zona sul e outra para a área mais a norte do concelho.

Os militares destacados para este serviço, que receberam formação específica, também recebem queixas-crime e atendem cidadãos em espaços reservados criados nas sedes das Juntas de Freguesia, que são parceiras da GNR neste projecto.

O feedback e os elogios que lhe têm chegado às mãos por parte das Juntas de Freguesia foi um dos pontos que o comandante sublinhou na conferência de imprensa, dando conta que 21 dos 23 executivos locais do concelho fizeram-lhe chegar "uma apreciação extremamente positiva" do "Estar Próximo" e solicitam mesmo a sua continuidade.

Quanto aos militares que estão no terreno, "estão muito motivados e sentem-se bem ao fazer este serviço, porque as pessoas dizem-lhes obrigado, sentem-se úteis quando a população reconhece o seu trabalho", disse ainda Corte-Real Figueiredo, salientado que "o espírito deste projecto passa precisamente por criar um elo de ligação muito forte com as pessoas".

"Nunca esteve previsto o encerramento de qualquer posto"

Colocar o projecto no terreno implicou fazer uma nova distribuição dos 46 elementos afectos aos postos da GNR de Santarém e de Pernes (os dois do concelho), mas "nunca esteve previsto o encerramento de qualquer posto", garantiu Corte-Real Figueiredo, referindo-se em concreto ao de Pernes.

Na nova reformulação, que implicou também uma alteração geográfica das áreas de patrulhamento de cada um, o posto de Pernes ficou apenas sem a parte administrativa, ficando com mais militares disponíveis para este serviço, explicou o comandante, acrescentando que a mudança reforçou a capacidade de garantir a segurança no concelho.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Notícias Relacionadas

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB