Qui, 13 Junho 2024

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

Siga o nosso canal de WhatsApp e fique a par das principais notícias.

Multidão pelo São Martinho encerra feira do cavalo


A Feira Nacional do Cavalo terminou numa verdadeira romaria que encheu de visitantes a Golegã no domingo, 11 de Novembro, naquele que terá sido o dia mais concorrido da 37ª edição de um certame que vai encontrando estratégias para escapar à crise e crescer de ano para ano.

Apesar de uma ligeira quebra na afluência durante a semana, o facto do domingo ter coincidido com o dia de São Martinho ajudou a que milhares de pessoas tenham acorrido à vila ribatejana para participar nesta feira única no mundo, em que os cavalos e as atrelagens se passeiam pelo meio dos visitantes, por ruas estreitas transformadas num verdadeiro mercado a céu aberto.

Segundo a organização, os números superaram os da edição de 2011, tendo-se registado um aumento dos cavalos inscritos (ultrapassaram-se os 1.800 animais) e de atrelagens (185 charretes).

A nível de criadores, estiveram representadas 35 coudelarias, e licenciaram-se 41 restaurantes e espaços de diversão nocturna, e 104 stands e barracas de vendedores de artigos equestres, roupa, calçado, quinquilharia e produtos regionais, entre outros.

Uma das principais novidades deste ano foi a realização de algumas provas desportivas no "Hippos", a pista do futuro Centro de Alto Rendimento de Desportos Equestres da Golegã, o maior hipódromo do país que será inaugurado em Maio de 2013, durante a ExpoÉgua.

Cavalo de João Pedro Rodrigues vence concurso dos lusitanos

O cavalo “Ahoto”, do criador e proprietário João Pedro Rodrigues, foi o grande vencedor da Feira Nacional do Cavalo 2012 na raça lusitana, deixando em segundo lugar o poldro de 3 anos “El-Rei II da Sernadinha”, da Coudelaria Stª Margarida, e o lusitano de 4 anos Dragão, da Sociedade Quinta das Terras.

“Edy Berlim Du Parisol”, do criador António Claro do Parisol e propriedade de Rui Jorge Sardinha Alves, foi eleito o campeão de raças, tendo sido também galardoado como o melhor cavalo da raça português de desporto pela Sociedade Hípica Portuguesa.

Os títulos foram entregues no sábado, 10 de Novembro, no picadeiro central, perante milhares de pessoas que enchiam por completo o Largo do Arneiro e que assistiram também à homenagem ao professor João Pedro Gorjão Clara, médico e cavaleiro que se debruçou e estudou a história e o pormenor do traje português de equitação

Ribatejano de nascença, teve a sua primeira montada aos oito anos, altura em que começou a frequentar com assiduidade a feira de São Martinho.

Surpreendido por serem muito poucos os cavaleiros “à portuguesa” e pela ausência de referências sobre o traje português de equitação, começou, com a ajuda de sua mulher, a estudar e a escrever na revista "Equestre" a história e os pormenores do vestuário, cuja súmula dos artigos culminou no livro “Traje Português de Equitação”, lançado na Feira da Golegã, em 1995.

O presidente da Câmara, José Veiga Maltez, referiu que "hoje Portugal desfila pelo Largo do Arneiro graças a Gorjão Clara, que reabilitou o traje português de equitação".

"O mundo equestre está-lhe grato”, acrescentou o autarca, emocionado perante mais de 70 cavaleiros e amazonas trajados a rigor e alinhados em pleno picadeiro central.

Os responsáveis pela organização entregaram ainda os Prémios Golegã – Distinção à Excelência Equestre a todos os atletas que se distinguiram em 2012, tanto a nível nacional, como internacional.

Com alguma naturalidade, Gonçalo Carvalho foi o mais aplaudido pela sua participação nos Jogos Olímpicos de Londres.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Notícias Relacionadas

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB