Seg, 15 Julho 2024

PUB

RODAPE-CONTEUDOS

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

Siga o nosso canal de WhatsApp e fique a par das principais notícias.

Judiciária desmantela grupo de burlões que atuava na região

algemado

 

A Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo da Polícia Judiciária (PJ) deteve seis homens, todos suspeitos da prática de crimes de burla qualificada, suportada num “modus operandi” conhecido como “euros negros”.

A operação, desenvolvida ao longo das últimas semanas nas zonas da Grande Lisboa e de Tomar, no distrito de Santarém, envolveu treze buscas, oito das quais domiciliárias, tendo sido apreendido dinheiro, papel negro para simular notas, garrafas do líquido utilizado e diversos objetos relacionados com a prática destes crimes.

“Os detidos, com idades compreendidas entre os 19 e os 54 anos, faziam-se passar por grandes investidores de um país estrangeiro, com relações familiares e próximas de altos quadros militares daquele país, simulando possuírem grande disponibilidade financeira”, explica a PJ.

Na sua ação, os homens começavam por abordar particulares com património imobiliário à venda, mostrando-se interessados na sua aquisição, fazendo-os crer que só lhe poderiam pagar em divisas, uma vez que haveria restrições à movimentação de capitais por via bancária.

Assim, alegavam que o dinheiro, em notas, seria transportado em malas e coberto com uma tinta negra a qual seria removida após lavagem com um líquido extremamente dispendioso.

De seguida, efetuavam uma demonstração junto do potencial interessado, utilizando notas verdadeiras, sendo que no decurso da suposta lavagem simulavam um descuido, perdendo-se o resto do produto, geralmente por quebra da garrafa que o continha.

Argumentavam, então, que o produto teria de ser novamente adquirido e a vítima necessitava adiantar uma determinada quantia, sempre muito elevada, para a obtenção do mesmo. Assim que esta o fazia, os autores iam mantendo a mesma em erro, adiando sempre a entrega do líquido, com pretextos vários.

Quatro dos detidos encontram-se em prisão preventiva, sendo os restantes dois presentes esta sexta-feira, 18 de março, a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação processual adequadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Notícias Relacionadas

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB