Sáb, 24 Fevereiro 2024

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

Siga o nosso canal de WhatsApp e fique a par das principais notícias.

Direção dos Bombeiros Torrejanos suspende comandante mas este não sai

José Carlos Pereira (à direita, fardado), ao lado do presidente da câmara, Pedro Ferreira.

A direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Torrejanos (AHBVT), de Torres Novas, decidiu instaurar um procedimento disciplinar ao comandante da corporação, José Carlos Sénica Pereira, suspendendo-o preventiva de funções por divergências profundas entre as duas partes, mas este continua no cargo como voluntário, até o processo ficar concluído.

Em comunicado, emitido este domingo, 14 de janeiro, a AHBVT justifica a sua decisão com “acontecimentos recentes, cuja exposição pública tem vindo a ser crescente e fundamentada em factos construídos de forma tendenciosa e com base em informações erradas”.

O documento, assinado pelo presidente da direção, Nuno Caroço, enumera uma série de situações, ocorridas desde maio de 2023, altura da tomada de posse da atual direção. “Desde esse momento, e de forma continuada ao longo do tempo, tem a direção sentido grande dificuldade na prossecução dos seus objetivos considerando a permanente oposição do Sr. Comandante a todas as mudanças sugeridas”, explica o comunicado.

“Incapacidade de promover e manter a motivação e união do corpo de bombeiros”, o facto de, “em agosto último, na pior e mais gravosa época de incêndios do ano, e sem a devida comunicação à direção da associação, se ter ausentado para parte incerta por um período superior a duas semanas”, e a oposição à pretensão da direção em ministrar formação externa para reforço da capacidade financeira da associação, são algumas das razões apontadas para justificar a suspensão, assim como “o facto de, reiteradamente, ter questionado a autoridade e idoneidade da direção”.

Este mal estar entre as duas partes já tinha levado a direção a não renovar a comissão de serviço do comandante, que terminou a 19 de dezembro, mas José Carlos Pereira recorreu da decisão, iniciando um processo judicial que ainda decorre.

A direção entende que o comandante tem assumido “um conjunto de comportamentos provocatórios”, o que levou à instauração do procedimento disciplinar e à sua suspensão preventiva das funções de comando, enquanto funcionário da associação.

COMANDANTE CONTINUA EM FUNÇÕES MAS COMO VOLUNTÁRIO

Contactado pela Rede Regional, José Carlos Pereira não quis reagir às acusações nem comentar o assunto, referindo apenas que continua como comandante, neste caso como bombeiro voluntário, uma vez que, a nível jurisdicional, quem tem autoridade para nomear ou demitir o comandante é a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Notícias Relacionadas

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB