Sáb, 24 Fevereiro 2024

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

Siga o nosso canal de WhatsApp e fique a par das principais notícias.

Bêbedo agride militar da GNR e safa-se com multa

Um homem alcoolizado, que agrediu um militar da GNR e resistiu à detenção após um acidente de viação, foi condenado pelo Tribunal de Santarém a seis meses de prisão, com uma pena suspensa, e uma multa de 600 euros.

Dos quatro crimes de que estava acusado pelo Ministério Público (MP), o arguido foi absolvido de desobediência qualificada e injúria em relação a um dos guardas, tendo sido condenado apenas por outra acusação de injúria agravada e ofensa à integridade física qualificada.

O homem, de 47 anos e de nacionalidade ucraniana, condenado em 2021 pelo crime de incêndio florestal a dois anos e seis meses de prisão, também suspensa, nem sequer compareceu no julgamento.

O caso remonta a agosto de 2022, quando a GNR de Ourém acorreu a um despiste ocorrido na Estrada Nacional 113, em Penigrados, tendo encontrado no local apenas o rebocador enviado pela companhia de seguros e o proprietário do muro onde o carro embateu.

O condutor apareceu 15 minutos depois, pois tinha estado a consumir bebidas alcoólicas num café a cerca de 600 metros do local do despiste, onde o carro bloqueava a circulação automóvel.

Segundo a Acusação, que foi quase toda dada como provada, vinha a cambalear e embriagado, recusou-se a mostrar a identificação à patrulha, ofendeu verbalmente os militares e deu ainda uma palmada na cabeça de um dos guardas, quando tentava resistir fisicamente à detenção.

Do seu cadastro, além do incêndio, constavam já duas condenações anteriores por condução de veículo em estado de embriaguez e uma por condução perigosa de veículo rodoviário.

2 respostas

  1. É um excelente exemplo da decadência em que se encontra a “justiça” em Portugal. Um cidadão reincidente em crimes graves tem mais direitos que um representante da autoridade do estado Português (GNR). Se o militar lhe desse uma bofetada levava um processo disciplinar.

  2. Mais um verdadeiro mau exemplo da decadente justiça praticada em nosso país,onde reina o “regabofe” para os filhos da libertinagem, os insurras e os protegidos da incúria, onde tudo serve para injuriar, agredir e desrespeitar o Estado Português- através dos desprotegidos agentes de autoridade!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

2 respostas

  1. É um excelente exemplo da decadência em que se encontra a “justiça” em Portugal. Um cidadão reincidente em crimes graves tem mais direitos que um representante da autoridade do estado Português (GNR). Se o militar lhe desse uma bofetada levava um processo disciplinar.

  2. Mais um verdadeiro mau exemplo da decadente justiça praticada em nosso país,onde reina o “regabofe” para os filhos da libertinagem, os insurras e os protegidos da incúria, onde tudo serve para injuriar, agredir e desrespeitar o Estado Português- através dos desprotegidos agentes de autoridade!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Notícias Relacionadas

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB