Dom, 3 Março 2024

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

Siga o nosso canal de WhatsApp e fique a par das principais notícias.

Colapso na medicina interna do Hospital de Santarém

Cerca de 80% dos médicos de medicina interna do Hospital Distrital de Santarém (HDS) já entregaram minutas de escusa de responsabilidade, tendo em conta a situação de “colapso” com que este serviço tem funcionado, e que se tem agravado nos últimos meses.


O caso foi denunciado pelo Sindicato Independente dos Médicos (SIM), que explica que, atualmente, o número “manifestamente insuficiente” de assistentes hospitalares de medicina impede “a constituição diária das equipas de Serviço de Urgência” (SU), de “acordo com as leges artis”.
Num comunicado publicado esta quinta-feira, 4 de maio, na sua página da Internet, o SIM acrescenta ainda que os médicos não conseguem garantir o “necessário acompanhamento dos doentes internados no horário disponível para tal”, e que o problema é ainda agravado pela “necessidade de serem os elementos destas equipas, a muitas vezes, assegurar os transportes inter-hospitalares”.
A denuncia surge depois de uma reunião entre elementos do sindicato e clínicos do próprio HDS, que descreveram “situações muito preocupantes, que põem em risco a qualidade dos cuidados prestados e a segurança de utentes e médicos”.
“Dada a incompetência do governo e incapacidade do Conselho de Administração, não tem havido a capacidade de contratar e fixar os médicos necessários ao hospital”, assinala o SIM, que “exige respostas, em vez de silêncio ensurdecedor”.

Conselho de administração nega incumprimento da lei
Perante a gritante falta de pessoal, o SIM acusa a administração do HDS de “se furtar a cumprir a lei e pagar horas extraordinárias” criando “artifícios de 80 horas em «bancos de horas» que, por não estarem previstos na Lei, desaparecem da contabilidade hospitalar”.
Contatado pela Rede Regional, o Conselho de Administração nega que tal seja verdade, uma vez que “sempre pagou as horas extraordinárias realizadas pelos seus profissionais, de acordo com a legislação em vigor”.
O órgão de gestão admite que se “debate com carência de recursos médicos no Serviço de Medicina Interna”, o que é uma “realidade transversal aos hospitais do SNS” e que “não foi possível até ao momento alterar”.
“Sempre que existem dificuldades na constituição das equipas de urgência e / ou grande afluência de utentes, é solicitado às entidades competentes (CODU, SNS24, ARSLVT) o encaminhamento de doentes para outros hospitais da rede”, explica ainda o Conselho de Administração.

Uma resposta

  1. Descobrimento da agua quenta..Santarem e’ a parte raro caso um verdadeiro desastre..e falo para para pesada experiencia pessoal

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Uma resposta

  1. Descobrimento da agua quenta..Santarem e’ a parte raro caso um verdadeiro desastre..e falo para para pesada experiencia pessoal

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Notícias Relacionadas

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB