Sáb, 13 Abril 2024

PUB

RODAPE-CONTEUDOS

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

Siga o nosso canal de WhatsApp e fique a par das principais notícias.

Ambulâncias do INEM chumbadas na inspeção

ambulancia inem 02

Pelo menos quatro ambulâncias protocoladas entre o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e os bombeiros de Alcoentre, Sardoal, Golegã e Alcanena, estão paradas por terem chumbado num nas inspeções do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT).

A denúncia é dos deputados do PSD eleitos por Santarém, que falam numa “grave desarticulação” entre organismos do Estado (INEM e IMT) que levaram, este último a chumbas as viaturas e a marcar nova inspeção na próxima semana.

Questionado pela agência Lusa, o IMT afirmou que “as ambulâncias referidas estão convocadas para nova inspeção na próxima quarta-feira (28 novembro), sem custos para as entidades, visto que na primeira inspeção o peso dos veículos não cumpria as regras relativas ao peso bruto”, questão que “pode, potencialmente, interferir com a segurança do veículo em circulação, nomeadamente considerando que são veículos que andam em marcha de emergência”.

O IMT esclareceu ainda que “qualquer veículo tem um peso bruto máximo que não pode ser excedido”, que “resulta da soma do peso próprio do veículo (tara) com o peso dos passageiros e da carga”, um “valor definido pelo fabricante do veículo e constante do respetivo certificado de matrícula, não podendo ser ultrapassado”.

Já o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) disse à Lusa que, das 62 novas ambulâncias protocoladas em 2017 que se destinaram a renovar as viaturas mais antigas ou a criar novos Postos de Emergência Médica (PEM), “a quase totalidade encontra-se já ao serviço das populações”, desconhecendo se as corporações que ainda não têm a nova viatura a funcionar já solicitaram ao IMT a emissão de licença de transporte de doentes, já que este processo é tratado diretamente entre as duas partes.

Assim, “na próxima inspeção o equipamento que não faz parte do veículo deve ser retirado, para este poder ser pesado e se determinar o seu peso próprio”, referiu o IMT, salientando: “Se após pesagem a tara do veículo acrescentada do peso dos passageiros e da carga disponível não exceder o peso bruto do veículo, este pode ser aprovado”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Notícias Relacionadas

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB