Sex, 1 Março 2024

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

Siga o nosso canal de WhatsApp e fique a par das principais notícias.

Santarém debateu o futuro do sector do azeite

O futuro do olival e do azeite na região do Ribatejo esteve em debate no auditório do Cnema, em Santarém, numa iniciativa promovida pela Câmara de Santarém, pela Associação de Agricultores do Ribatejo (AAR) e pela Casa do Azeite.


“É necessário e fundamental conhecer melhor o setor olivícola, que se encontra em crescente dinâmica, profissionalismo e modernidade, o que leva a ter cada vez mais um peso económico significativo”, defendeu Nuno Russo, vereadora da Câmara com o pelouro da agricultura, que participou neste debate para falar do “Apoio ao Desenvolvimento Agrícola no Concelho”.
Sendo Santarém caracterizada por uma forte atividade do setor, de relevante importância agrícola, o responsável referiu ainda que devem ser identificados “os problemas e oportunidades para valorizar a azeitona e o azeite, promovendo e divulgando ideias e experiências”.
Na sessão de abertura, Susana Sassetti, secretária-geral da AAR, apresentou o estado em que se encontra o setor do olival e do azeite no Ribatejo e a sua evolução, tendo concluído que “não existirem dados fiáveis sobre o mesmo, de maneira a caracterizar a realidade da região, e a poderem ser fundamentadas as soluções mais adequadas”.
Mariana Matos, secretária-geral da Casa do Azeite, abordou o tema da futura Associação Interprofissional da Fileira Oleícola (AIFO), entidade que pretende ser uma base para o desenvolvimento nacional deste setor.
Nesta iniciativa, que teve como objetivos ouvir os produtores e as entidades ligadas à olivicultura e ao azeite, promovendo o debate sobre o setor no Ribatejo, foram também apresentados dois projetos inovadores de apoio ao setor e aos olivicultores da região.
Um dos projetos, liderado pelo Instituto Superior de Agronomia, o “OIL4MED”, foi apresentado por Henrique Ribeiro, e tem como objetivo construir uma plataforma WEB colaborativa inteligente, destinada a apoiar pequenos olivicultores, de modo a dar-lhes uma maior visibilidade, melhorar a sua rentabilidade e garantir confiança e transparência na comercialização dos seus produtos.
O segundo projeto – “Olival Circular” – foi apresentado por Gonçalo Cunha Ferreira, da empresa Entogreen, e foca-se na transformação de um subproduto do olival, o bagaço da azeitona, em fertilizante orgânico para os solos e em óleos e proteínas para a alimentação animal.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Notícias Relacionadas

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB