Qui, 18 Julho 2024

PUB

RODAPE-CONTEUDOS

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

Siga o nosso canal de WhatsApp e fique a par das principais notícias.

Águas do Ribatejo apresenta 1,5 milhões de lucros

aguasribatejoapresentacaoresultados

A Águas do Ribatejo fechou o exercício contabilístico de 2015 com um lucro ligeiramente superior a 1,5 milhões de euros, já depois de descontados os impostos legais.

Os números foram apresentados durante a tarde desta terça-feira, 29 de março, numa conferência de imprensa onde os responsáveis da empresa intermunicipal se mostraram bastante satisfeitos com os resultados da exploração dos sistemas de abastecimento de água e saneamento básico nos sete municípios que a compõem.

“Este resultado líquido coloca a empresa numa situação mais confortável que o ano passado”, afirmou o presidente do Conselho de Administração, Francisco Oliveira, explicando que o volume de água vendido pela Águas do Ribatejo é um dos principais fatores que explica o aumento da faturação.

Segundo o também presidente da Câmara Municipal de Coruche, e uma vez que nenhum dos municípios acionistas retira dividendos, os lucros serão sobretudo para reinvestir nos sistemas de águas e saneamento de cada concelho.

Torres Novas leva a maior fatia

Durante 2016, segundo Francisco Oliveira, a empresa terá condições para executar não só os investimentos financiados por fundos europeus, mas também para realizar várias empreitadas com recurso apenas a capitais próprios.

Dos projetos de maiores dimensões, existem já quatro que têm financiamento assegurado pelo POSEUR: os sistemas de saneamento de Almeirim / Alpiarça, da Quinta do Papelão, em Benavente, e outros dois no concelho de Torres Novas, da Chancelaria / Pedrógão e de Lapas / Ribeira, que têm um custo estimado a rondar os 11 milhões de euros e levam a maior fatia do investimento previsto.

O presidente da Câmara de Torres Novas, Pedro Ferreira, explicou que estas obras completam o ciclo de investimentos acordado aquando da adesão do município à empresa intermunicipal, no valor de 30 milhões de euros (sobretudo para o saneamento básico), e frisou a importância dos novos equipamentos na despoluição e valorização ambiental dos rios Almonda e Tejo.

Empresa quer reduzir desperdício de água tratada

Entre os vários projetos estruturantes da empresa para este ano, está a redução do nível das perdas de água.

Nos seis anos que leva de funcionamento, a Águas do Ribatejo passou de 53% para os atuais 34%, tendo traçado como objetivo chegar aos 20% em 2020.

“É um número ao qual não podemos fechar os olhos, pois trata-se do desperdício de um bem que tem custos na captação e no tratamento”, explicou Francisco Oliveira, acrescentando que, dos sete municípios, apenas Almeirim cumpre a fasquia dos 20%.

O presidente do conselho de administração adiantou ainda que, durante 2016, a Águas do Ribatejo vai também fazer obras de remodelação e modernização de alguns equipamentos que têm problemas de funcionamento ou começam a ficar obsoletos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Notícias Relacionadas

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB