Seg, 15 Julho 2024

PUB

RODAPE-CONTEUDOS

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

Siga o nosso canal de WhatsApp e fique a par das principais notícias.

Federação rejeita argumentos do V. Setúbal e União de Santarém vai jogar na Liga 3

O Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) indeferiu esta quarta-feira, 26 de junho, o recurso do Vitória de Setúbal, que assim está oficialmente impedido de se inscrever na Liga 3, vaga que será ocupada pela União Desportiva de Santarém (UDS).

Questionado pela Rede Regional, o presidente da UDS, Pedro Patrício, confirma que o clube já recebeu a confirmação da decisão final do Conselho de Justiça em “não atribuiu licença” ao Vitória FC para a Liga 3 e para o Campeonato de Portugal, mantendo a decisão da Comissão de Licenciamento.

“Estamos a aguardar com serenidade a notificação da FPF para a União Desportiva de Santarém participar na Liga 3. Temos a mesma convicção e serenidade desde o início do processo, porque conhecemos e cumprimos todas as premissas do regulamento disciplinar da FPF”, disse Pedro Patrício.

O dirigente considera que “o Ribatejo e Santarém merecem esta oportunidade de se desenvolverem”, enquanto região. “A partir de agora temos a oportunidade de desenvolver mais e melhor a articulação entre o Desporto, o Turismo, a Restauração, a Indústria, o Ensino, etc, para criar uma força no Ribatejo imparável. E temos o que faz toda a diferença: as pessoas. Podemos ajudar na construção da coesão social, o futebol tem também esse papel”, refere o dirigente.

O Campo Chã das Padeiras está a sofrer obras de beneficiação por parte da autarquia e Pedro Patrício espera “contar com um apoio muito forte das entidades municipais, parceiros, sócios e adeptos para” que o clube seja competitivo.

“Santarém tem obrigatoriamente que ter equipa nas ligas profissionais de futebol para os jovens ribatejanos que optem pela carreira de futebolistas não tenham que sair do concelho de Santarém aos 15 e 16 anos para irem jogar futebol profissional para Braga, Porto, Faro ou Açores”, exemplifica

PLANTEL EM PREPARAÇÃO

À Rede Regional, Pedro Patrício lamenta que o clube tenha “poucos dias para preparar um plantel sénior para fazer uma equipa bem estruturada”, mas reforça que há algum tempo que a direção “está a trabalhar juntamente com a equipa técnica, no planeamento do plantel sénior e da restante estrutura do futebol de formação, a qual estamos a profissionalizar, para dentro de poucas semanas, começar a época 24/25 na LIGA 3”.

Em resposta às acusações da direção do Vitória de Setúbal, que se diz “injustiçado” pela FPF, e que tem lançado fortes críticas à posição da UDS, Pedro Patrício diz que não quer, para já, comentar, mas faz questão de deixar “uma palavra especial de solidariedade para os sócios e adeptos, e afinal também para todos os scalabitanos, que ao longo destas últimas semanas foram insultados, e muitas vezes mesmo vilipendiados, em especial nos canais digitais.

SETÚBAL ACUSA MAS NÃO EXPLICA DÍVIDAS DE MILHÕES

Em comunicado, o Vitória Futebol Clube SAD garante que regularizou a sua situação contributiva junto da Segurança Social, e que “a impossibilidade de apresentar a certidão (razão invocada para a decisão) deveu-se exclusivamente à situação de insolvência do clube, facto que não invalida a regularização da sua situação contributiva”.

A direção da SAD dos sadinos lança ainda fortes suspeitas à “coincidência de um dos diretores da FPF (Rui Manhoso) ter sido presidente da União de Santarém, assim como também o “dono” da SAD deter “ligações fortes a uma equipa de Lisboa”.

Recorde-se que Vitória foi declarada pelo Tribunal de Setúbal, após os credores não viabilizarem o Processo Especial de Revitalização do clube. Já esta semana, a assembleia de credores aprovou a admissão do plano de recuperação, que será apreciado e votado em data ainda a designar.

Este voto a favor da admissão do plano não é, no entanto, nenhum compromisso de votação futura, podendo ou não este ser aprovado. Segundo se sabe, o clube tem uma dívida de 21,3 milhões, enquanto a da Sociedade Anónima Desportiva ascende a 40 milhões de euros.

Sem poder participar na Liga 3 e no Campeonato de Portugal, o Setúbal poderá ter de se inscrever no distrital de Setúbal.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Notícias Relacionadas

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB