chamusca voulevartecomigocms banner carnaval

heli inem

Não é só durante o período noturno que o heliporto do Hospital Distrital de Santarém (HDS) está impedido de receber helicópteros. Ao contrário do que afirma uma reportagem do Jornal de Notícias, que cita dados da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), o heliporto do HDS continua desativado, não tendo atualmente condições para receber qualquer aeronave.

A Rede Regional confirmou a informação junto de fonte do HDS que, remetendo mais esclarecimentos para um comunicado a emitir pelo Ministério da Saúde, explicou apenas que o espaço continua ocupado com o estaleiro das obras do bloco operatório, situação que ainda deverá durar alguns meses e só após a qual será feita nova avaliação ao espaço.

A situação já não é nova e também se verificou durante as obras nas urgências daquela unidade hospitalar, o que faz com que os helicópteros do INEM tenham de aterrar no Centro Nacional de Exposições ou no Campo Emílio Infante da Câmara.

 

OBRAS NO PINGO DOCE IMPEDEM ATERRAGENS NOTURNAS EM TOMAR

Outro heliporto com limitações é o do Hospital de Tomar, uma das Unidades do Centro Hospitalar do Médio Tejo, onde estão interditos os voos em período noturno.

Fonte da unidade de saúde explicou ao nosso jornal que o heliporto funciona normalmente durante o dia e o constrangimento no período noturno tem a ver com as obras do supermercado Pingo Doce, que estão a ser feitas numa cota mais alta, e obrigam à colocação de uma nova sinalética no edifício em obras.

"É um problema que não tem a ver connosco. Eles [Pingo Doce] estão a seguir os trâmites normais e legais e quando a sinalética estiver colocada será feito o pedido de autorização para que o heliporto volte a funcionar normalmente durante a noite", referiu a mesma fonte.

Recorde-se que segundo a ANAC, 10 das 33 unidades hospitalares que têm instalações para receber helicópteros de emergência médica está proibida a aterragem de voos noturnos.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves