chamusca voulevartecomigocms banner carnaval

Categoria: Cultura

aguia pesqueira

A zona do Vale do Tejo, nomeadamente no troço do rio entre o Castelo de Almourol, no concelho da Barquinha, e a zona de Vila Franca de Xira, é a região do país que acolhe mais águias pesqueiras em Portugal.

Os dados são do IV Censo Ibérico das Águias Pesqueiras Invernantes, que se realizou nos dias 12 e 13 de janeiro, e que contabilizou um total nacional de 174 aves, 70 das quais no Vale do Tejo.

Nesta região, a contagem foi feita por um grupo com cerca de 30 voluntários, que percorreu o rio Tejo de barco a contabilizar as aves desta espécie que escolhem a região para passar os meses mais frios do ano.

As águias pesqueiras, que se alimentam sobretudo de peixe, nidificam no Norte da Europa, mas com o surgimento do outono, em finais de setembro, migram para sul sobretudo África. Algumas ficam na Península Ibérica onde invernam até ao final de março ou início de abril.

José Freitas, coordenador do grupo que fez a contagem no Vale do Tejo, salienta a importância desta zona para as águias pesqueiras, cuja população invernante que se desloca para Portugal se tem mantido estável, conforme mostram os 4 censos já realizado.

A águia pesqueira - Pandion haliaetus, foi outrora comum em Portugal como nidificante. Era sobretudo conhecida por Guincho, existindo ainda hoje o registo da sua abundância na toponomia de alguns locais (Penedo do Guincho, Praia do Guincho etc).

Actualmente os registos de nidificação são muito raros, na costa vicentina e na barragem do Alqueva, onde existe um programa de reintrodução da espécie.

O censo foi organizado em Portugal pelo portal www.avesdeportugal.info e na região de Santarém teve o apoio dos Bombeiros Voluntários e Municipais de Santarém nas viagens efectuadas no rio Tejo.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves