PUB

chamusca covid continua

PUB

cms riscos

professor fernando guapo ribeiro

O ex-professor Fernando Rovisco Guapo Ribeiro, docente nas áreas de Física, Química e Matemática, que durante mais de meio século foi diretor do Colégio Externato Marcelino Mesquita, no Cartaxo, faleceu esta quinta-feira, 2 de abril.

O corpo está em câmara ardente na casa mortuária do Cartaxo (Igreja Matriz) até à altura das cerimónias fúnebres, que se realizam esta sexta-feira, pelas 14h00, para o cemitério do Cartaxo.

A autarquia, que em 2004 lhe entregou, em nome do colégio, a Medalha de Mérito Municipal, decretou luto municipal nos dias 2 e 3 de abril, e o presidente, Pedro Magalhães Ribeiro, enviou uma carta de condolências à família.

“Dotado de uma inteligência brilhante, o Professor Fernando Rovisco Guapo Ribeiro dedicou o melhor das suas qualidades pessoais e profissionais a várias gerações de cartaxeiros de todas as nossas freguesias, tendo criado um ambiente de estímulo à excelência, notabilizado pela permanente preocupação que sempre manifestou pela inserção profissional dos seus alunos e pela promoção dos valores éticos e morais na nossa comunidade”, afirmou o autarca.

Em 2010, Fernando Guapo Ribeiro participou nas "Conversas na Taberna", entrevista que pode ler AQUI.

abrantesprojeducacao

A Câmara Municipal de Abrantes considera não estarem reunidas as condições para avançar com o "Programa Aproximar Educação- Descentralização de Competências na área da Educação" (PAE), um projeto do atual governo onde se assumia como município piloto.

Para justificar o seu abandono em relação a este projeto, a autarquia explica, em comunicado, que no "decorrer do processo negocial, foi identificado um conjunto significativo de dúvidas e questões que o Governo não conseguiu esclarecer", e que não está salvaguardada a questão essencial de todo o processo: "a garantia e reforço da autonomia das escolas".

A autarquia liderada por Maria do Céu Albuquerque considera ainda que "o calendário com que este processo se encontra a ser desenvolvido não garante condições objetivas para iniciar o próximo ano letivo já com este novo modelo em condições de tranquilidade para o funcionamento das escolas".

A Câmara reuniu com as forças políticas representadas na Assembleia Municipal e com representantes da comunidade educativa para lhes transmitir a sua tomada de posição relativamente à participação no “PAE”, onde transmitiu que o processo de discussão levado a cabo com o Ministério da Educação "pressupunha uma dinâmica negocial" que se traduziria "numa aceitação incondicional das propostas apresentadas pelo governo"

As explicações dadas por Maria do Céu Albuquerque não convencem o Bloco de Esquerda de Abrantes, que tem vindo a acusar a Câmara de "falta de transparência" na condução de todo este processo.

Em comunicado, o BE acusa a presidente da autarquia de, na reunião de 24 de Março, "mesmo tendo conhecimento de que as escolas perderiam múltiplas competências e de não ter respostas concretas para as questões colocadas", ter tentado "numa derradeira ronda, obter o sim, acenando com ilusórias (e ilegais) vantagens de se ser município-piloto e com a inevitabilidade deste processo, seja qual for o governo que se forme após as próximas eleições legislativas".

"Na matriz do contrato que esteve em negociação, a maioria das competências detidas pelas escolas passaria para a autarquia ou, em alguns casos, passaria a ser partilhada com esta. Portanto, ao contrário do que é afirmado, nunca esteve assegurado o reforço da autonomia das escolas", acrescentam os bloquistas, acrescentando que o processo da adesão ao PAE esteve durante 10 meses rodeado de um "secretismo inadmissível" e que sempre teve, a nível do concelho e ao contrário do que a Câmara quis fazer transparecer, a "oposição total das escolas ao modelo proposto".

cartaxosbvauxiliares

A Câmara Municipal do Cartaxo está a promover ações de formação para mais de 70 assistentes operacionais das escolas e jardins de infância do concelho, numa ação que conta com o apoio do dos Bombeiros Municipais.

As auxiliares de educação, que se dividem entre os dois agrupamentos do concelho, D. Sancho I, em Pontével, e Marcelino Mesquita, no Cartaxo, estão a aprender técnicas que lhes permitem prestar primeiros socorros e saber que protocolos seguir em situação de acidente, como, por exemplo, em casos de paragens cardiorrespiratórias.

Esta formação, segundo uma nota de imprensa da autarquia, "inclui conceitos teóricos e simulação prática, abordando todos os passos que se devem seguir numa primeira intervenção, até à chegada dos meios de socorro".

“Cuidar de crianças e jovens é uma competência da maior responsabilidade, pelo que garantir que os trabalhadores da autarquia estão preparados para agir em caso de acidente é uma obrigação à qual daremos prioridade”, frisa o presidente da Câmara, Pedro Magalhães Ribeiro, acrescentando que “são ações como esta que, apesar de não terem muita visibilidade, marcam a qualidade do serviço que a autarquia presta”.

Segundo André Ferreira, o bombeiro responsável pela formação, numa situação de paragem cardiorrespiratória “cada minuto conta, porque a cada minuto aumenta, em média, entre 7% e 10% a probabilidade de sobrevivência, sendo crucial intervir desde o primeiro momento”.

Mais artigos...

Slide backgroundSlide thumbnail

PUB

PUB

PUB

Scalhidraulica

PUB

PUB

promo almeirim1

Quem está Online?

Temos 756 visitantes e 0 membros em linha