PUB

chamusca covid responsavel

PUB

banner cms escola

O portal de referência Imovirtual lançou os mais recentes dados referentes à evolução do mercado imobiliário, revelando sinais positivos no sentido de uma recuperação bastante sólida em comparação com o mês anterior.
Com os dados de Abril e Maio de 2020 a indicarem uma quebra acentuada na maioria dos distritos, foi seguramente com agrado que os mais recentes números foram recebidos.
Tendo a pandemia afetado os mais variados segmentos económicos, constatamos assim a resiliência do mercado imobiliário em particular.

Crescimento Notável
As notícias do crescimento do mercado imobiliário ao longo dos últimos anos já não deixavam margem para dúvidas acerca do seu real potencial como criador de valor e prestígio na economia nacional.
Como tal e apesar de todas as condicionantes que nos envolvem neste particular momento da história, o mercado de venda assistiu a um crescimento notável de 2,9% entre Maio e Junho de 2020. No mesmo sentido e ainda com um impacto mais impressionante, o mercado de arrendamento observou um crescimento de 10%.
Estes dados indicam seguramente um regresso em força que se espera continue em crescendo durante os próximos meses.

Crescimento Desigual
Apesar da curta densidade territorial do nosso país, existem assimetrias bastante acentuadas consoante o distrito observado, o que significa que nem todos observam dados positivos, mas que, no panorama geral, aqueles que o fazem ofuscam os dados negativos.
Com efeito, Lisboa que é de longe o distrito onde são praticados os preços mais elevados tanto na venda como no arrendamento, observou um crescimento de 3,7% no primeiro campo. Estes valores traduzem-se num aumento entre Maio e Junho de €556.378 para €577.150.
O distrito do Porto segue a mesma tendência, com um crescimento de uns saudáveis 2,7% (€312.592 para €321.146).
Faro que por norma figura entre os distritos com os preços mais elevados a nível nacional, observou um crescimento de 2,4% passando de €454.581 para €465.464.
No sentido oposto, Portalegre revela uma quebra de -11,1% vendo o valor médio de venda em Maio cair de €130.966 para €116.459.
Também Castelo Branco, que figura tal como Portalegre, entre os distritos onde é mais barato comprar casa, teve uma ligeira quebra na ordem dos -0,4% e vê o seu preço médio de venda fixar-se em Junho em €118.944.
É, porém, Bragança que mais impressiona neste sentido, vendo o seu preço médio de venda passar de €214.821 para €166.872 em apenas um mês.

Assimetrias Também no Arrendamento
Com subidas bastante acentuadas no preço médio do arrendamento em Lisboa (8,5%), é Setúbal que impressiona com um valor que é 9,1% superior em Junho àquele praticado no mês anterior (€1.546).
Faro contribui também para estes resultados bastante positivos, com um crescimento de 7,8% num único mês. Também o Porto contribui em alta para estes números com um valor 2,74% superior àquele que era praticado em Maio.
É em Beja que reside a surpresa maior com um crescimento registado de 28,8% que coloca o preço médio de arrendamento anteriormente de €569 em €733.
No sentido oposto, Portalegre observa uma quebra também neste segmento em -3,6% e colocando o seu valor médio agora em €320 e tornando-se assim o distrito onde é mais barato arrendar um imóvel.

 

(Artigo Patrocinado)

Uma poupa gigante, obra de Bordalo II, um artista que cria esculturas de animais a partir do lixo como forma de sensibilizar para as questões da sustentabilidade ambiental, foi inaugurada esta quarta-feira, 26 de agosto, no centro histórico de Santarém.

Durante o mês de julho foram criadas 91 empresas no distrito de Santarém, apenas menos uma do que em igual período do ano passado, um sinal de retoma que já se tinha verificado em junho, com este mês a registar mesmo a criação de mais 5 empresas do que em junho do ano passado.

Mais artigos...

PUB

PUB

Scalhidraulica

PUB

almeirim melao

Quem está Online?

Temos 621 visitantes e 0 membros em linha