PUB

chamusca covid responsavel

PUB

banner cms escola


Nos próximos meses de Dezembro, Janeiro e Fevereiro, o TagusValley vai realizar quatro acções de qualificação dedicadas às empresas e empreendedores em início de actividade no Tecnopólo do Vale do Tejo, em Alferrarede, concelho de Abrantes.

Estes workshops temáticos vão incidir nas áreas mais relevantes para o desenvolvimento e crescimento da empresa nos seus primeiros anos de existência, e vão decorrer aos sábados, com a duração de sete horas.

"Motivar os empresários para a reflexão e análise sobre a sua empresa em torno da estratégia do negócio, proporcionar métodos e técnicas para uma gestão eficiente de recursos humanos, proporcionar cultura financeira aos participantes, identificar e aplicar os princípios inerentes à comercialização e às estratégias de marketing são alguns dos objectivos definidos para esta iniciativa", explica uma nota de imprensa da TagusValley.

Estas formações, inseridas no projecto "Start-up, da Rede de Inovação e Empreendedorismo da Região Centro (RIERC)" são gratuitas, mas com prioridade para as empresas das incubadoras inscritas nos programas "Em_Rede", da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT), e "CIMPIS Empreendedorismo", da Comunidade Intermunicipal do Pinhal Interior Sul.

As sessões de formação têm um limite de 40 inscrições, que devem ser feitas através do site do TagusValley (www.tagusvalley.pt).


O "Nersant Business 2012" vai contar com a presença de cerca de 50 empresas estrangeiras que já agendaram 375 encontros de negócios, naquele que será o maior encontro internacional jamais realizado no Ribatejo.

O evento, que tem como principal objectivo dar a conhecer aos investidores estrangeiros o potencial da região e alavancar a realização de negócios, começa na quarta-feira, 21 de Novembro, e termina no sábado, dia 24.

Este encontro "enquadra-se no trabalho que a Nersant vem realizando há vários anos no sentido de promover a internacionalização das empresas e dos produtos do Ribatejo”, explica Salomé Rafael, a presidente da associação empresarial".

O facto de ter atraído tantas empresas e comitivas de seis países, Angola, Moçambique, Cabo Verde, África do Sul, Namíbia e Brasil, surpreendeu até as expectativas da organização,adianta António Campos, presidente da comissão executiva da Nersant.

“O Nersant Business 2012 tem capacidade para a realização de 375 encontros de negócios e neste momento já temos pedidos de reuniões que ultrapassam este número. Estamos a reunir todos os esforços para que todos os pedidos sejam atendidos”, explica o responsável.

A par dos encontros de negócios, vai realizar-se na quinta-feira, dia 22, o seminário “mercados de origem e de destino”, no auditório do pavilhão de exposições em Torres Novas, cujo encerramento estará a cargo do Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas.

A sessão de encerramento vai decorrer no sábado, 24 de Novembro, numa unidade hoteleira de Tomar, onde vão ser apresentadas as oportunidades de negócio e investimento dos diversos países participantes, e ainda formalizados protocolos de cooperação entre a Nersant e estes países.

De forma a promover o que de melhor se faz na região, o AgroCluster Ribatejo, parceiro na organização deste evento, vai apresentar uma exposição de diversos produtos da região.

“Cada empresário tem que dedicar tempo à sucessão da sua própria empresa, ou seja, tem de procurar soluções que garantam a continuidade da mesma no futuro”. A opinião é de Roberto Morales, sócio diretor RMA & Associados, especialista em sucessão de empresas familiares, e foi dita durante um seminário sobre sucessão e continuidade das empresas familiares, organizado pela Associação Empresarial da Região de Santarém (Nersant).

O especialista argumenta que as empresas familiares têm tendência a desaparecer, porque, no seio da família, há um certo desconforto em debater problemas empresariais, e defende que é imprescindível uma “planificação antecipada com critério empresarial”.

Roberto Morales deu a conhecer algumas das ferramentas que os empresários podem utilizar de maneira a salvaguardar a sua empresa, entre elas a elaboração de um testamento, onde o empresário defina a responsabilidade dos seus descendentes em caso de morte, e a elaboração de um protocolo familiar, em que se definem, entre os membros de uma família empresarial, medidas que podem ser de extrema importância e até essenciais na hora da sucessão da empresa.

O especialista exemplificou o protocolo empresarial com a assinatura de um acordo entre os diversos filhos de um empresário, onde estes se comprometem a casar com separação de bens. “É importante separar o que é a empresa e o que é a família. Ter cônjuges na empresa é um risco”, frisou Roberto Morales.

O seminário, cuja abertura esteve ao cargo de António Campos, presidente da Comissão Executiva da NERSANT, contou com a presença de 30 empresários da região, acompanhados, em muitos casos, pelos filhos.

Mais artigos...

PUB

PUB

Scalhidraulica

PUB

almeirim melao

Quem está Online?

Temos 443 visitantes e 0 membros em linha