PUB

chamusca covid

PUB

banner cms vamostodosficarbem

Aproximadamente 40 alunos e professores da licenciatura em Ciências do Ambiente da Universidade Aberta (UA) fizeram uma visita de estudo à ETAR de Coruche, na quinta-feira, 12 de Abril.

A deslocação foi feita no âmbito da semana de campo do curso, que envolveu um contacto directo com várias indústrias e equipamentos ligados ao sector do ambiente.

“Durante a visita, os estudantes tiveram oportunidade de acompanhar todo o processo de tratamento dos esgotos e de questionar a forma como é feito o tratamento das águas residuais antes de serem encaminhadas para o Rio Sorraia”, afirma uma nota de imprensa da Águas do Ribatejo, responsável pela gestão deste equipamento inaugurado há 5 anos.

A comitiva integrou estudantes dos vários centros locais de aprendizagem do continente e ilhas dos Açores e da Madeira da UA, que também tem um centro local a funcionar em Coruche.

As empresas ribatejanas que em 2010 e 2011 participaram nas ações de internacionalização desenvolvidas pela Associação Empresarial da Região de Santarém aumentaram as suas exportações de 2 para 7 milhões de euros, o que dá um aumento de 5 milhões de euros no volume de exportações, o que equivale a um crescimento de mais de 250%.

Os dados foram revelados esta sexta-feira pela Nersant, que conclui assim que os números apresentados demonstram que as empresas ribatejanas estão a responder positivamente aos desafios da economia portuguesa, para além de confirmar que os produtos e serviços da região são competitivos no mercado global.

A internacionalização tem sido uma das estratégias desenvolvidas pela Nersant junto das empresas associadas, tendo organizado várias missões empresariais a mercados previamente definidos e estudados, bem como a receção de delegações estrangeiras, com vista à realização de parcerias e negócios.

Neste preciso momento, uma comitiva de empresários da região está no Brasil, onde já estabeleceu vários protocolos.

As auto-estradas que cruzam o distrito de Santarém registaram uma quebra significativa a nível do volume de trânsito automóvel, segundo os dados do Instituto de Infra-Estruturas Rodoviárias (INIR) relativos à variação do tráfego médio diário da rede nacional de auto-estradas, durante o ano de 2011.

Na A15, que liga Santarém às Caldas da Rainha passando por Rio Maior, a diminuição global foi de 15,1%, a 31 de Dezembro do ano passado. Pegando, por exemplo, neste mês e comparando-o com os valores registados em Dezembro de 2010, é possível aferir que circularam nesta auto-estrada menos 737 viaturas, o que dá qualquer coisa como 25 carros por dia.

A quebra na A13, que liga Almeirim à Marateca passando por Salvaterra de Magos, Coruche e Benavente, é ainda mais acentuada, situando-se nos 16,6%.

Fazendo o mesmo exercício para a auto-estrada que serve o sul do distrito, a diminuição entre meses homólogos é de 1.577 veículos, ou seja, aproximadamente 53 carros por dia.

No que se refere à A23, que liga Torres à Guarda passando pelos concelho do Entroncamento, Constância, Abrantes e Mação, o trânsito registou uma quebra de 30,9%. Por ser sensivelmente o dobro, este valor permite aferir que a diminuição de tráfego se tem feito sentir com maior intensidade nas ex-SCUT onde entretanto foram introduzidas portagens do que nas vias construídas de raiz com o perfil de auto-estrada. A A23 perdeu, em média, cerca de 118 carros por dia.

Na A1, a principal auto-estrada do país que liga Lisboa ao Porto, a quebra cifrou-se nos 9,5%.

Mais artigos...

PUB

PUB

PUB

PUB

ctx covid 19

PUB

Quem está Online?

Temos 521 visitantes e 0 membros em linha