Economia

Lançada no passado dia 9 de dezembro, a campanha “5 Vale o Dobro” está a ter grande impacto no comércio tradicional de Almeirim, um sector económico bastante afetado pelos danos colaterais da pandemia da COVID-19.

Slide thumbnail

“Nota-se um aumento no número de clientes que passam aqui pela loja”, disse à Rede Regional Dina Oliveira, da AL Atelier, uma das lojas aderentes à iniciativa lançada pela Associação Comercial e Empresarial do Concelho de Almeirim (MovAlmeirim) e pela Câmara Municipal.
A campanha é atrativa porque o desconto direto é sempre de 50%, pois os clientes adquirem vales por 5 euros e fazem compras no valor de 10, em qualquer uma das lojas aderentes.
Outra das particularidades prende-se com o facto dos vales poderem não só ser usados em lojas tradicionalmente mais ligadas ao comércio natalício, casos do vestuário, calçado ou lojas de brinquedos e eletrónica, mas também em produtos de primeira necessidade, como as farmácias, as óticas ou até em géneros alimentares.
“As pessoas podem vir e descontar os seus vouchers em carne ou qualquer outro produto que aqui vendemos”, explica António Saraiva, do Talho “O Frade”, outro dos pontos aderentes ao “5 Vale o Dobro”.
“Acho que é uma boa iniciativa porque faz mexer o comércio nesta altura do Natal”, acrescenta o mesmo comerciante.
Além da clientela, o número de lojas aderentes tem aumentado de dia para dia, e já ultrapassou os 60 estabelecimentos.
“Ainda não podemos fazer um balanço em termos de objetivos alcançados, mas, para já, a campanha está a ter um grande impacto no comércio local, e esperamos que vá continuar até 9 de janeiro, a data em que termina”, sublinha Helena Fidalgo, a presidente da MovAlmeirim.
A Câmara de Almeirim é a entidade que suporta a diferença entre os vales adquiridos pelos clientes e o valor das compras feitas no comércio tradicional, e diz-se disposta a reforçar o investimento, caso seja necessário.
“Nós mandámos imprimir 4 mil vales, num valor total de 20 mil euros, mas estamos inteiramente disponíveis para aumentar o investimento, caso esse valor se esgote”, afirmou à Rede Regional o presidente do município, Pedro Ribeiro.
Cada pessoa, de qualquer ponto do país, pode comprar até um máximo de 3 vales de 5 euros, mediante a apresentação de um número de contribuinte válido.
Mas os vouchers podem ser usados de forma cumulativa, ou seja, um casal com 6 vales de 5 euros pode fazer compras no valor de 60 euros, pois o valor é sempre duplicado.