Economia

A edição de 2012 do prestigiado concurso francês “Vinalies Internationales” atribuiu dez medalhas de prata aos Vinhos do Tejo.

Da lista dos premiados, destaque para o “Casal da Coelheira Rosé 2011”, produzido no Centro Agrícola do Tramagal, Abrantes, que voltou a cotar-se como o único rosé nacional premiado pelo júri da competição.

Recorde-se que este mesmo néctar, com a colheita de 2010, foi também o único rosé português a alcançar a medalha de ouro na edição do ano passado deste concurso. Este ano, o tinto “Casal da Coelheira Reserva 2010” assegurou ao mesmo produtor a conquista de uma segunda medalha de prata.

A Companhia das Lezírias e a Quinta do Casal Monteiro também arrecadaram dois galardões prateados. O primeiro produtor com os vinhos “Companhia das Lezírias Samora Tinto 2010” e “Azul Portugal Branco 2011”, e o segundo com o “Forma de Arte Reserva Tinto 2009” e o “Casal Monteiro Chardonnay & Arinto Branco 2010”.

Os restantes vinhos e produtores da região do Tejo galardoados com prata são o “Casal do Conde Tinto 2010”, da Sociedade Agrícola Casal do Conde, o “Conde de Vimioso Reserva Tinto 2008”, da Falua, o “Falcoaria reserva Tinto 2007”, da quinta do Casal Branco, e o “Quinta da Lagoalva Reserva Tinto 2010”, da Quinta da Lagoalva.

Sobre o concurso, que já vai na sua 18ª edição, importa referir que decorreu em Paris, entre 2 e 6 de Março, organizado pela Union des Oenologues de France, e colocou à prova cerca de 3.900 vinhos provenientes das mais diversas regiões vitivinícolas mundiais.

Muito satisfeita com os resultados, a Comissão Vitivinícola Regional do Tejo (CVR Tejo) salienta que todos os vinhos ribatejanos premiados têm um preço de mercado inferior a oito euros, e que três dos néctares medalhados custam mesmo menos de cinco euros.

Isto “prova, por um lado, que a qualidade de um vinho não se mede pelo seu preço e, por outro lado, que a relação qualidade / preço é cada vez mais uma imagem de marca dos vinhos do Tejo”, refere José Pinto Gaspar, presidente da CVR Tejo.