PUB

chamusca covid responsavel

PUB

cms covid 2021b

A Casa do Benfica de Santarém (CBS) comemorou no dia 11 de janeiro meio século de vida. A data foi assinalada numa sessão solene realizada no Salão Nobre dos Paços do Concelho e onde além de representantes da autarquia estiveram os principais responsáveis pelo clube.

João Veloso, vice-presidente da assembleia geral da CBS, fez uma resenha histórica da CBS, desde a sua criação, há 50 anos atrás, sendo na altura a quarta Casa do Benfica a ser criada. Falando dos triunfos em modalidades como a ginástica, minitrampolim, natação, judo, futsal e as recentes modalidades tiro ao alvo e jiu-jitsu, todas elas coroadas de sucesso.

As honras da autarquia foram feitas pelo vereador João Leite, conhecido adepto do Futebol Clube do Porto, que no entanto reconheceu a importância da CBS na formação de atletas e na elevação do nome de Santarém em Portugal e além-fronteiras. Por isso, vestiu-se a rigor e colocou uma gravata vermelha para brindar os 50 anos da Casa do Benfica do seu município.

Domingos Lima, vice-presidente do SLB com o pelouro das casas do Benfica, lembrou aos presentes a função das casas do Benfica como projetos integradores nas sociedades onde estão inseridas, como espaço de convívio e debate dos triunfos e desaires do Benfica. Para além das palavras de agradecimento, Domingos Lima lembrou que esta é quarta de 243 casas do Benfica espalhadas por todo o mundo.

Na cerimónia foram também agraciados os sócios mais antigos da CBS, como forma de reconhecimento e agradecimento pela sua dedicação ao clube. Na ocasião foi entregue uma placa e um pin comemorativos dos 50 anos aos sócios: Eusébio Duarte Jorge (n.º 3), Joaquim Martinho Silva (n.º 4), José Clemente Pereira (n.º 6), Justino Maria dos Santos Farinha (n.º 7), Mário Tomás Madeira (n.º 11), Rui Ferrer da Silva Nunes (n.º 13), Júlio Porfírio Ramalho Nunes (n.º 16), António Antunes Duarte (n.º 19), José Teodoro de Almeida Gameiro (n.º 20) e José Luís da Silva Caetano Latoeiro (n.º 22).

O Maratona Clube de Portugal dominou por completo o campeonato nacional de estrada de atletismo, que se correu em Benavente, no domingo, 15 de Janeiro, de manhã.

Manuel Damião, que percorreu os 15 quilómetros da prova em 44m09s, sagrou-se campeão nacional com três segundos de avanço sobre o seu companheiro de equipa José Rocha. Os 3º e 4º lugares também foram Youssef El Kalai e Sérgio Silva, também ambos do Maratona CP, que assim venceu colectivamente estes campeonatos nacionais, deixando a Conforlimpa e o Maia nos restantes lugares do pódio.

O pódio individual feminino também foi composto apenas por atletas do Maratona CP. A nova campeã nacional é Ana Dulce Félix, que foi mais rápida que Ana Dias e Leonor Cordeiro, que levam para casa as medalhas de prata e bronze, respectivamente.

Este campeonato nacional, organizado pelo Clube União Artística Benaventense (CUAB) e pela Federação Portuguesa de Atletismo, realizou-se inserido nos “15 quilómetros de Benavente”, que cumpriu a sua 24ª edição.

A vila ribatejana recebeu os nacionais pela segunda vez no seu historial. Em 1999, o actual director técnico da Conforlimpa, Eduardo Henriques, venceu individualmente a prova envergando a camisola do Maratona CP, clube que também triunfou em termos colectivos. Fernanda Ribeiro, do FC Porto, venceu o sector feminino, onde o SC Braga se superiorizou na classificação colectiva.

João Veríssimo é rápido nas alas, polivalente e tem bons pés para jogar à bola, mas decidiu trocar as botas de futebol por um apito e dois cartões coloridos. Até aqui nada de estranho, a não ser o facto de ter apenas 13 anos e ter dirigido a sua primeira partida oficial de um campeonato de futebol no sábado, 7 de Janeiro.

Depois da partida entre o União de Almeirim e o Salvaterrense, em escolas, que os forasteiros venceram por 9-1, tornou-se no árbitro mais jovem de sempre a apitar um jogo de futebol, em Portugal.

A mãe, Célia Veríssimo, é a principal responsável pelo facto do jovem ter tirado o curso de arbitragem de nível I na Associação de Futebol de Santarém, em Novembro de 2011. “Li uma entrevista onde um miúdo de 15 anos dizia que tinha o sonho de ser árbitro. Como o João tinha deixado de jogar futebol há pouco tempo pensei que talvez fosse algo que ele gostasse de experimentar. E assim foi”, explicou a mãe à Rede Regional. A progenitora afirma ainda já ter explicado ao filho que “ele vai ter que aprender a ouvir chamarem-lhe muitos nomes feios”. O que no sábado não aconteceu, pois ouviram-se apenas aplausos e palavras de incentivo.

“No início estava bastante nervoso, mas fui descontraindo ao longo do jogo e acabei por fazer boa figura. Acho que não errei em muitos lances”, disse João Veríssimo à Rede Regional minutos depois da estreia.

O destino colocou em campo o seu antigo clube, o U. Almeirim, onde jogou até 2011, como iniciado. “Para mim, foi importante o primeiro jogo ser aqui em Almeirim porque senti-me muito acarinhado pelos dirigentes da casa”, acrescentou o jovem árbitro, que se mostra satisfeito com a opção que tomou. “Ao princípio, os meus amigos acharam estranho ter deixado de jogar e ir tirar o curso de árbitro. Agora, acham muito engraçado e dão-me todo o apoio”, desabafa. Natural de Almeirim, João Rodrigo Veríssimo frequenta o 8º ano na EB Febo Moniz. É bom aluno e quer seguir um curso superior de desporto, quando chegar à universidade.

“Ele pode já perfeitamente dirigir um jogo de seniores, mas é óbvio que o conselho de arbitragem o vai proteger nesta fase de aprendizagem”, afirmou Jorge Maia, o árbitro dos quadros da Federação Portuguesa de Futebol que apadrinhou a estreia do jovem.

Na análise ao seu desempenho, Jorge Maia explicou que, “além de ter muita personalidade, o João mostrou aqui pequenos pormenores que indicam um grande potencial, desde a postura dentro de campo ao acompanhar sempre de perto os lances”. “Poucos estariam tão bem como ele esteve”, concluiu. 

Mais artigos...

PUB

PUB

Scalhidraulica

PUB

Aguas Ribatejo Atendimento 012 222

Quem está Online?

Temos 1037 visitantes e 0 membros em linha