O Estrela Ouriquense, popular coletividade do concelho do Cartaxo, pode estar a escassas horas de desistir do campeonato da Divisão Principal da Associação de Futebol de Santarém.

A falta de pagamento, por parte da Câmara do Cartaxo, dos protocolos de 2010 e a indefinição quanto aos protocolos de 2011, levou a direção do clube a convocar uma assembleia geral, realizada a 28 de outubro, em que a direção explicou a difícil situação financeira que o Ouriquense atravessa.

O presidente do clube, Carlos Albuquerque explicou que a direção só decidiu entrar no campeonato sénior porque os responsáveis da autarquia lhe prometeram que em meados de julho deste ano seria pago o protocolo de 2010 e transferido metade do protocolo de 2011, o que não passou de uma promessa.

Uma hora antes da Assembleia, Carlos Albuquerque, recebeu mesmo a informação, da boca do próprio presidente da autarquia, Paulo Caldas, de que o pagamento dos protocolos 2010 e 2011 só seria possível a partir de meados do 2012.

Com seis meses de atraso nos subsídios de deslocação aos atletas, uma despesa fixa mensal de cerca de 1.600 euros para manutenção das instalações e cerca de 350 euros de despesa por jogo em casa (taxa da associação e policiamento), a direcção vê-se sem soluções porque não tem conseguido patrocínios, o clube tem cerca de 13.500 euros de quotas por receber e a receita de cada jogo tem rondado os 120 euros.

Com este cenário, o presidente do clube considerou que, para evitar problemas maiores, a melhor solução seria desistir do campeonato após o jogo em casa com o Amiense, a realizar este domingo, dia 6 de novembro.

No final da assembleia, os sócios aprovaram por unanimidade um voto de louvor aos atletas pelo esforço e dedicação ao clube, e outro de protesto com a câmara do Cartaxopor faltar ao prometido.

O Rede Regional sabe que há diretores que estão a tentar encontrar uma solução para ultrapassar esta crise mas o cenário não está fácil e o jogo de domingo poderá mesmo ser o último do Ouriquense no Campeonato da Divisão Principal da Associação de Futebol de Santarém.

Ao que foi possível apurar, para já, não está em causa a manutenção das equipas dos escalões jovens.