PUB

banner chamusca alice

PUB

banner cms riscos

A Federação Portuguesa de Xadrez (FPX) considera que a acusação feita pelos responsáveis do Grupo de Futebol dos Empregados do Comércio (Caixeiros), de Santarém, de que a federação estaria a colocar interesses económicos em primeiro lugar é “completamente infunda” e “carece de sustentação factual”.

Slide thumbnail

Em declarações à Rede Regional, Pedro Vinagre, diretor da Federação, recorda que “às federações desportivas cabe o papel estatutário de promover, regulamentar e dirigir a nível nacional a prática de cada uma das modalidades” e é “neste âmbito que a Federação Portuguesa de Xadrez (FPX), organiza e estabelece um calendário de competições, o qual, devido à pandemia, esteve suspenso de Março a Agosto do presente ano”.

De acordo com o mesmo responsável, as competições foram retomadas a 22 de agosto, com a realização do Campeonato Nacional por Equipas da 1ª Divisão, seguindo-se o Campeonato Nacional de Jovens, Campeonato Nacional Individual Absoluto e Campeonato Nacional Feminino, “todos com grande participação”.

Pedro Vinagre esclarece que a organização de provas “permite aos clubes e jogadores optarem por participar, ou não participar, sendo perfeitamente legítima qualquer das opções”.

“Quem não quer participar não pode obrigar quem o pretende fazer a que não participe, sendo também válido que aqueles que pretendem participar não sejam impedidos pelos outros, ou pela simples não realização das provas”, refere o responsável.

Com estes pressupostos, Pedro Vinagre diz que “é completamente absurdo que a FPX tenha qualquer interesse económico na realização de uma prova, antes pelo contrário, tem encargos com a sua realização, como facilmente se percebe se atendermos a toda a logística necessária. Pagamento a árbitros e sua deslocação, transporte de material, instalação da sala e, neste momento, um acréscimo de despesa na aquisição de todo o material de higiene pessoal e do material, executado com o rigoroso cumprimento das normas da DGS”.

Sobre a prova realizada na Casa do Campino, Pedro Vinagre considera que o protesto dos Caixeiros “nada tem que ver com a realização desta prova, uma vez que apenas referem no mesmo, que não obtiveram resposta a um mail enviado para a FPX”.

Esclarece ainda que as provas realizadas em Santarém integram 72 equipas e apenas 5 comunicaram à FPX não quererem participar.

O diretor da FPX sugere ainda que os interessados esclareçam as dúvidas vendo as fotos da prova realizada em Santarém no sítio oficial da FPX, em
fpx.pt/site/nacional/noticias/noticia/21-09-2020/equipas-voltam-a-jogos-na-2-e-3-divisao-nacional.

NOTÍCIA RELACIONADA:



leziria startup

 

Slide backgroundSlide thumbnail

PUB

PUB

Scalhidraulica

Quem está Online?

Temos 1131 visitantes e 0 membros em linha