chamusca pinoquiomicromineiro slide

O programa de transporte coletivo sénior do concelho de Santarém (MOBI.SÉNIOR), lançado em julho deste ano, tem visto a sua utilização aumentar todos os meses, tendo transportado, até 3 de dezembro, 4.144 passageiros.

Depois do período experimental, os autocarros, que percorrem um circuito com 36 paragens, ligando vários serviços públicos, comércio e grandes superfícies da cidade, transportaram 827 pessoas em setembro, número que aumentou para 1388 em outubro, e que em novembro já ficou perto dos 2 mil utilizadores (1831).

Destinado a cidadãos com mais de 60 anos de idade, ou com incapacidade superior a 60 por cento, o MOBI.SÉNIOR funciona de segunda a sexta-feira, entre as 9h00 e as 17h30.

O minibus está equipado com 15 lugares sentados e um lugar para cadeira de rodas, na parte traseira, com respetiva plataforma elevatória. O percurso completo demora cerca de uma hora.

Os interessados em usufruir gratuitamente deste serviço, devem fazer a adesão ao Cartão MOBI.SÉNIOR no balcão da Câmara Municipal de Santarém na Loja do Cidadão, levando consigo uma fotografia, o comprovativo de data de nascimento (através do Cartão de Cidadão ou Bilhete de Identidade), e um comprovativo de morada.

No caso de incapacidade, é necessário entregar fotocópia do atestado multiusos. Nestes casos e sendo uma pessoa dependente de qualquer idade, o cuidador também tem direito ao cartão.

Segundo dados da autarquia, até às 23h59 do dia 3 de dezembro foram emitidos 753 cartões e vendidos 509 bilhetes a quem ainda não pediu o cartão. Refira-se que a tarifa de motorista é válida por um dia e tem o custo de 2 euros.

Percurso pode ser ampliado

Na reunião desta segunda-feira, 3 de dezembro, a vereadora Virgínia Esteves (PS) sugeriu que fosse criada mais uma paragem junto á Universidade da Terceira Idade de Santarém (UTIS), e que fosse estudado o alargamento do percurso à Ribeira Santarém e, no futuro, às freguesias.

Em resposta, o presidente da autarquia, Ricardo Gonçalves, garantiu que a paragem junto à UTIS, que funciona no antigo Presídio Militar, já está pensada e revelou que, dada a procura, a autarquia está a estudar a entrada em circulação de um outro autocarro.

Já sobre a ligação às freguesias, o autarca disse que a câmara não pode substituir as carreiras normais, admitindo no entanto que o projeto possa sofrer evoluções.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves