chamuscal apartilhatecfresh2018 slide

golegaprotestocavalos

Um grupo com cerca de 100 cavaleiros, a grande maioria montados a cavalo, concentraram-se pelas 16 horas desta terça-feira, 6 de novembro, no picadeiro central da Feira Nacional do Cavalo (FNC), que decorre na Golegã, em protesto contra as restrições à circulação de animais e charretes impostas pela organização.

O principal motivo de descontentamento dos manifestantes tem a ver com a proibição à circulação de cavalos e carros puxados a trote entre as 2 da madrugada e as 7 horas da manhã, uma medida justificada com a preservação do bem-estar animal e para dar algumas horas de descanso e sossego aos residentes, durante a noite.

O novo circuito de entradas e saídas do recinto da feira, que se estende desde o Largo do Arneiro até às ruas adjacentes, e que apenas permite o acesso a animais e proprietários devidamente registados, também não agrada a alguns dos participantes que se reuniram nesta manifestação.

Horas antes desta concentração junto ao secretariado da FNC, um grupo de participantes no evento invadiu o picadeiro central por volta das 3 da madrugada, tendo seguido depois para a porta da casa do presidente da Câmara Municipal da Golegã, José Veiga Maltez, onde fizeram sobretudo barulho com cornetas e diretos para o Facebook.

Um porta voz dos participantes descontentes reuniu com José Veiga Maltez e o comandante do Destacamento da GNR de Santarém, sendo ainda desconhecidos os resultados desse encontro.

Em atualização.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves