chamuscal apartilhatecfresh2018 slide

 alerta

O furacão Leslie, que esta manhã passou perto da Madeira e que se encaminha para o território continental já como depressão pós-tropical, poderá trazer ventos históricos a grande parte do país, com rajadas acima dos 130 Km/hora, mas que podem atingir máximos de 180/190 km/hora.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), é esperado um aumento muito significativo do vento a partir das 21h00/22h00, com rajadas de vento acima dos 130 km/hora, o que configura um aviso vermelho nos distritos do litoral centro”.

Cerca da hora do almoço, a previsão aponta que o Leslie atinja Portugal entre Sines e a Figueira da Foz, sendo de esperar que 40% das rajadas de vento sejam superiores a 145 km/hora e uma possibilidade de 10% de que a rajada possa ser superior os 180/190 km/hora nesta região centro.

Santarém é um dos 13 distritos que o IPMA colocou sob aviso vermelho, juntamente com Setúbal, Lisboa, Leiria, Coimbra, Aveiro, Porto, Braga, Viana do Castelo, Vila Real, Castelo Branco, Viseu e Guarda.

Os distritos que entram em aviso vermelho mais cedo são os de Setúbal, Lisboa, Santarém, Leiria, Coimbra, Aveiro, com o aviso relativo a ventos fortes a vigorar a partir das 21h00 até às 03h00 de domingo. Nos restantes distritos o aviso vigora a partir da meia-noite de sábado para domingo.

Em relação à previsão de precipitação, o cenário ainda não é seguro, mas segundo o IPMA, em princípio este “não será o parâmetro mais crítico”.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) também já emitiu recomendações e conselhos importantes para o período antes e durante a passagem do Leslie, entre eles a limpeza de algerozes, fixar objetos que possam estar soltos, como chapas, não deixar os animais ao relento noturno e, assim que o tempo o exija, descer completamente estores e cerrar portadas
Os cidadãos deverão ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte.

É também fundamental garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas.
Quem necessitar mesmo de sair de casa deverá adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água nas vias, bem como não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas.

Simulacro da Proteção Civil no Entroncamento - Fotos: José Neves