chamusca appmicromineiro slide

Sociedade

riomaiorpoluicaosaojoao

O Movimento Cívico Ar Puro, uma organização ambientalista do concelho de Rio Maior, denunciou à Agência Portuguesa do Ambiente (APA) uma descarga ilegal de águas poluentes numa ribeira que desagua no Rio Maior.

Segundo a queixa, a descarga de “águas negras e pastosas exalando cheiros nauseabundos” ocorreu no passado dia 20 de julho, no troço da ribeira entre a Quinta dos Capuchos e a Quinta do Capitão, na Estrada Nacional 114, na freguesia de Ribeira de S. João.

A ocorrência foi reportada ao Serviço Especial de Proteção da Natureza (SEPNA) da GNR, que se deslocou ao local e contatou com os moradores que fizeram a denuncia.

De acordo com o Movimento Cívico Ar Puro, próximo do local “labora uma suinicultura que tem um historial de práticas sistemáticas e reiteradas” de episódios de poluição, “como a contaminação das referidas linhas de água e os maus cheiros exalados, altamente perturbadoras de todos os quantos residem nas imediações e provocando graves danos ambientais”.

Os autores da queixa exigem a atuação das autoridades no sentido de garantir o cumprimento da legislação ambiental.

alpiarcapadrastomortoenteado

Paulo Pinheiro, o homem que morreu numa rua em Alpiarça com marcas de agressões violentas, já tinha apresentado queixa-crime por ameaças e ofensa à integridade física contra o enteado, que foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) por ser o principal suspeito do homicídio.

Segundo a Rede Regional conseguiu apurar, o homem já tinha sido notificado para ser ouvido ainda durante esta semana, no âmbito do inquérito que corre na GNR de Alpiarça.

Recorde-se que Paulo Pinheiro, de 56 anos, foi encontrado por populares quase inanimado, junto a um caixote do lixo na rua Mário João Grazina Feliciano, em Alpiarça, com marcas de agressões na cabeça e sangue na cara.

Apesar das manobras de reanimação, prestadas em primeiro lugar por uma enfermeira que mora perto e depois pela equipa do INEM da VMER de Santarém, o homem acabou por morrer no local, pelas 21h30 desta terça-feira, 25 de julho.

Poucos minutos depois, a GNR deteve o enteado, um cadastrado de 27 anos, pois vários vizinhos relataram aos militares a ocorrência de uma discussão entre ambos, com ameaças de morte, por volta da hora de jantar, na casa onde ambos residiam.

À hora da briga, estavam também na casa a mãe do agressor e um filho da vítima mortal.

Já durante a madrugada, o suspeito foi entregue à PJ, que assumiu a investigação do caso e já esteve no local a recolher provas.

“Trabalhador e amigo do seu amigo”

Paulo Pinheiro é natural da Chamusca e tinha-se mudado há vários anos para Alpiarça, com a mulher e os filhos desta, que são naturais da Madeira.

O homem era bastante conhecido na vila e em Almeirim, pois trabalhava como empregado de mesa num dos restaurantes mais conhecidos da cidade.

Os vizinhos, sem querer ser citados pelo nome, descrevem-no como alguém “bastante trabalhador e simpático, sempre com uma palavra amiga para toda a gente”.

Já sobre o enteado, que tem cadastro por posse ilegal de estupefacientes e condução sem habilitação legal, os moradores referem que “anda sempre metido em confusões e brigas, a arranjar problemas”.

psp enctroncamento detida

A PSP do Entroncamento, com o apoio de outras subunidades do Comando Distrital de Santarém e da Unidade Especial de Polícia, realizou esta terça-feira, 25 de julho, pelas 7h00, uma operação para dar cumprimento a 5 mandados de busca e apreensão, tendo detido uma mulher de 34 anos de idade, por suspeita da prática do crime de tráfico de estupefaciente e detenção de arma proibida.

A operação desenrolou-se no âmbito de inquérito relacionado com crimes contra o património, visando-se ainda o combate ao tráfico de produto estupefaciente e posse ilegal de armas.

Durante as buscas, a PSP apreendeu 1 carregador com 15 munições de 9 mm, 598 doses de haxixe, 360 euros em numerário e 2 LCDs.

A detida foi constituída arguida e sujeita a Termo de Identidade e Residência (TIR), sendo presente ao Tribunal de Entroncamento para aplicação de medidas de coação.

XTerra Golegã - Fotos Carlos Simões