chamusca baguncadabanner tasquinhas2017

Sociedade

ultima hora

Um incêndio numa oficina de automóveis este sábado, 25 de março, na localidade de Botequim, freguesia de Riachos, no concelho de Torres Novas, mobilizou cerca 70 operacionais de várias corporações da região, apoiados por 23 viaturas.

Segundo fonte da proteção civil, as chamas deflagraram às 19h55 numa oficina com um número ainda não apurado de viaturas no seu interior. Apesar do enrome aparato, o incêndio ficou confinado ao espaço, não pondo em perigo qualquer habitação vizinha.

Um homem foi assistido logo na fase inicial devido a ferimentos ligeiros, nomeadamente queimaduras feitas quando tentava combater as chamas. Outras duas pessoas sofreram igualmente ferimentos ligeiros.

Às 00h15 de domingo, 26 de março, ainda estavam no local 61 operacionais, apoiados por 19 viaturas.

EM ATUALIZAÇÃO

corucheacidentemontedabarca

Um despiste ocorrido ao início da madrugada desta sexta-feira, 24 de março, provocou três feridos, em Coruche.

O acidente ocorreu na Estrada Nacional 251, na zona do Monte da Barca.

Os ocupantes ficaram encarcerados no interior da viatura ligeira e tiveram que ser retirados pelos bombeiros, tendo sido de seguida transportados ao hospital de Santarém.

As operações de socorro envolveram a VMER de Santarém, os Bombeiros Municipais de Coruche, que enviaram ao local 11 elementos apoiados por três viaturas, e a GNR.

corucheacidentemontedabarca02

santaremPGEESconsignacao

As obras de consolidação nas barreiras de Santarém vão arrancar já a partir da próxima segunda-feira, 27 de março.

A garantia foi dada pelo presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves, e por José Carlos Gonçalves, responsável da empresa que venceu o concurso público, a Ancorpor, durante a assinatura do auto de consignação da empreitada, que decorreu na tarde desta quinta-feira, 23 de março.

Os trabalhos, que marcam o arranque da concretização da 1ª fase do Plano Geral de Estabilização das Encostas de Santarém (PGEES), vão iniciar-se nas encostas de Santa Margarida e da Ribeira de Santarém.

Além de serem duas zonas onde a intervenção é mais urgente, os trabalhos vão permitir também a futura reabertura ao trânsito da Estrada Nacional 114, que está encerrada desde agosto de 2014, altura em que ocorreu o último grande deslizamento de terras.

No entanto, Ricardo Gonçalves fez questão de sublinhar que esta empreitada vai durar até Junho de 2019.

Segundo o autarca, das 16 encostas da cidade, há mais duas onde é urgente intervir, tendo em conta a instabilidade das barreiras, a das Quebradas / Portas do Sol e a da Ribeira de Alfange / Bairro do Falcão.

No que se refere à primeira, a Infraestruturas de Portugal, que esteve representada neste ato pelo seu vice-presidente, Serrano Gordo, já está a desenvolver o projeto de intervenção e vai lançar seguidamente o concurso para a obra a curto / médio prazo.

Em relação à segunda, ainda não há fonte de financiamento definida, o que deixa o presidente da Câmara de Santarém “bastante preocupado”.

“Nós não podemos chegar ao final desta obra, em Junho de 2019, para ir à procura de uma fonte de financiamento, temos que aproveitar o tempo em que esta obra vai decorrer para garantirmos o dinheiro necessário para intervir na Ribeira de Alfange”, afirmou Ricardo Gonçalves.

Dos 13 milhões de euros previstos no PGEES, só esta empreitada custará cerca de 5 milhões de euros.

Ricardo Gonçalves explicou ainda que, desta candidatura, sobraram cerca de 600 mil euros, que a Câmara já pediu para não serem canalizados ou adstritos a outros programas de financiamento.

“Nós podemos usar essa verba para intervir numa outra das 12 encostas da cidade que não necessitam de intervenções de fundo, mais urgentes, e onde as obras não serão tão onerosas”, explicou o autarca.

Carnaval Samora Correia - Fotos João Dinis

×