app chamuscafestival bike sideshow

agressao

Um médico de família do centro de saúde da Chamusca diz ter sido agredido pelo companheiro de uma utente que lhe tinha solicitado uma renovação de baixa médica, após se ter recusado a passá-la.

Em declarações à agência Lusa, o clínico, que pediu para não ser identificado pelo nome, tentou procurar junto da utente dados clínicos para a baixa e percebeu que não havia motivos para a passar.

"A utente mostrou-se desagradada e saiu do consultório. Quando eu estava ainda a escrever os dados no processo, entrou no gabinete o companheiro que me agrediu a murro na face esquerda e continuou depois a bater-me até que um grupo de pessoas entrou no consultório e nos separou", contou o médico à Lusa.

De acordo com a mesma fonte, o médico acabou por chamar a GNR, que tomou conta da ocorrência e o escoltou depois à saída.

Entretanto, a Ordem dos Médicos já revelou que vai avançar para tribunal e promete apoiar juridicamente este médico. O ministro da Saúde também soube da situação e já telefonou ao agredido.

Segundo a Lusa, o médico em causa é um recém-especialista, que vê doentes sem médico de família atribuído.

 

Este já não é o primeiro caso na Chamusca

O Sindicato dos Médicos da Zona Sul já veio entretanto dizer que este não é um caso isolado. "No mesmo concelho, na Extensão de Saúde do Chouto, uma médica de família foi insultada por alguns utentes, tendo, consequentemente, recusado trabalhar naquela unidade de saúde durante algumas semanas”, referiu fonte do sinddicado à Lusa.

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis