app chamuscamicromineiro slide

A proposta do PAN (Pessoas - Animais - Natureza) que propunha a abolição das touradas em Portugal foi rejeitado esta sexta-feira, 6 de julho, ao final da manhã, na Assembleia da República, ficando-se pela discussão na generalidade.

O único deputado do PAN, André Silva, afirmou que nenhum partido que se diz progressista e defenda que deve continuar a haver touradas pode dizer que apanhou o comboio do progresso, afirmando que para a maioria do parlamento, os falaciosos interesses económicos por trás da tauromaquia valem mais do que padrões éticos.

Em oposição, o deputado socialista Hugo Costa, e leito por Santarém, manifestou a discordância com o projeto de proibição radical do PAN, cuja aprovação levaria a conflitos desnecessários e poria portugueses contra portugueses.As touradas, defendeu, são reconhecidamente parte da cultura popular portuguesa e é dever do Estado proteger as manifestações culturais.

Ao todo, votaram contra a proposta do PAN a maioria das bancadas do PSD e do PS, o CDS-PP e o PCP. A favor votou André Silva, Bloco de Esquerda, PEV, oito deputados socialistas e um social-democrata.

Oito autarquias da região são contra o fim das touradas

Este chumbo à proibição das touradas vai de encontro aos desejos dos municípios com atividade taurina, que já ontem tinham criticado a proposta.

Este estas autarquias estão 11 municípios da região - Almeirim, Azambuja, Benavente, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Golegã, Salvaterra de Magos, Santarém, Tomar e Vila Nova da Barquinha, que sustentam que impedir ou proibir manifestações culturais é uma violação da Constituição.

A Câmara de Coruche enviou mesmo uma nota às redações, assinada pelo presidente da Francisco Oliveira, onde se pode ler que "para os municípios com atividade tauromáquica, fica claro que o objetivo do PAN é impor na sociedade portuguesa uma visão que não corresponde ao sentimento da comunidade e tão pouco respeita a pedra basilar da democracia representativa que deve assegurar a prossecução dos interesses das populações".

"A preocupação que assiste aos municípios com atividade taurina é refletida também pelas suas populações, que esperam que os seus autarcas sejam defensores do valor da liberdade de escolha em função da sua história, da sua cultura e da sua identidade muito própria", conclui Francisco Oliveira.

Partida em Coruche do Grande Prémio de Ciclismo Abimota - Fotos: João Dinis